Yokohama: 6 Passeios Imperdíveis para Passar o Dia na Cidade

Yokohama foi uma das cidades que eu mais gostei do Japão. Durante a sua história, ela recebeu (e recebe até hoje) muitos estrangeiros, o que faz de Yokohama uma cidade multicultural, jovem e muito moderna.

Yokohama fica pertinho de Tóquio, há uns 40 minutos de trem e é super fácil de chegar até lá. Eu passei o dia na cidade e retornei à noite para Tóquio e achei uma delícia. Mas lá é tão legal que dá facilmente para você ficar uns 3 dias explorando e descobrindo cada cantinho de Yokohama.

Mas, se assim como eu, você só tiver tempo para um bate-volta, te dou a dica de 6 passeios imperdíveis para um dia em Yokohama.

+ Assista a minha viagem à Yokohama no Youtube +

1. Landmark Tower

yokohama japão
Olha a vista que se tem do Monte Fuji lá do Landmark Tower

A Landmark Tower já foi considerada a torre mais alta do Japão, com 296 metros. É claro que hoje existem outras torres mais altas no país, mas nem por isso a Landmark deixa de ser interessante.
A minha dica é que a Landmark seja a primeira atração a visitar em Yokohama, bem cedo. Ela fica bem pertinho da estação de trem e é legal ir no começo do dia para ter uma visão 360° de Yokohama.

Com abertura às 10h, a entrada custa 1000 ienes (cerca de R$ 35) e te dá acesso ao 69° andar, que é onde fica o observatório da torre.
Lá em cima, em um espaço todo envidraçado, você terá uma visão completa da cidade e se o dia estiver aberto, você conseguirá até ter uma excelente visão do Monte Fuji, que não fica muito longe dali.

Além do observatório, o 69° andar conta com um café e lojinhas com souvenirs de Yokohama.
Se você não estiver a fim de comprar nada, uma boa lembrança da Landmark e também da cidade de Yokohama é o carimbo que eles disponibilizam por ali. Leve seu caderninho e carimbe com o prédio que é símbolo da cidade.

Para quem gosta de ver as cidades do alto, o Landmark Tower é um excelente ponto de partida de Yokohama. Lá de cima dá pra ver como a cidade é linda! Eu considero um passeio imperdível. Não dá pra ir à Yokohama e não subir na Landmark Tower.

Além da vista, a Landmark Tower fica em um shopping, então também dá para dar uma voltinha e conhecer as marcas que fazem a cabeça dos japoneses.

+ Saiba quais são as 11 coisas que você não deve fazer no Japão +

2. O bairro de Minato Mirai

minato mirai
Essa roda gigante deixa Yokohama ainda mais linda

A Landmark Tower está localizada na região de Minato Mirai, um bairro agradabilíssimo para uma caminhada sem pressa.
Por lá, tem até um mini parque com uma roda gigante linda, que deixa a cidade ainda mais cênica.
Em Minato Mirai tem uma grande área de caminhada à beira mar, onde muita gente aproveita para passear, se exercitar e descansar.
É uma ótima ideia sentar por ali e ficar lendo um livro, ou só ver a vida japonesa passar. Talvez por aqui você consiga apreciar o Japão um pouco menos apressado…

3. Cupnoodles Museum

cup noodles
Isso na parede é tudo embalagem diferente de Cupnoodles

O passeio de Yokohama que mais agrada a criançada é o Cupnoodles Museum. Mas mesmo que você não esteja viajando com crianças, vale a pena ir visitar. Eu adorei a experiência.
O museu, que tem a entrada a 500 ienes (aproximadamente R$ 18) conta a história de Momofuku Ando, o criador do miojo instantâneo como conhecemos hoje e a evolução deste alimento através dos anos. Você poderá ver todas as embalagens que o miojo já teve, os sabores inusitados que ele tem no Japão, como ele é consumido nos diferentes países e como faz parte da cultura oriental.

O museu em si é informativo, mas não tem tanta graça. A melhor parte dele é o terceiro andar, que é onde fica o My Cupnoodles Factory. Lá, você pode criar o seu próprio Cupnoodles pra levar pra casa. É tipo um parque de diversões do Cupnoodles.

Funciona assim: você chega lá, paga 300 ienes por pessoa (R$ 11, mais ou menos) e recebe um copo vazio de Cupnoodles para personalizar da forma como quiser. São várias mesas cheias de canetinhas coloridas para você liberar o artista que existe dentro de você.
Depois, você vai para um área onde escolhe quais serão os ingredientes do seu Cupnoodles.
O macarrão é padrão, o mesmo para todo mundo, mas você pode escolher cinco ingredientes dentre 12 opções para colocar no seu copinho (carne de porco, frango, ovo, legumes…) e também qual caldo irá querer: apimentado, curry, legumes…
Tem algumas opções de sabores que só são disponibilizados lá no museu, ou seja, será impossível você comer um Cupnoodles igual em outro lugar do mundo.
Os funcionários fazem o seu Cupnoodles na hora, na sua frente. Depois a embalagem é fechada à vácuo e você ganha uma bolsinha para carregá-lo. Aí é só chegar em casa, abrir, colocar água quente e se deliciar. Mas eu confesso que dá muita dó fazer isso. A vontade que dá é de não abrir aquilo nunca mais e ficar só lembrando do passeio no museu.

Mas eu fui firme e abri o meu, depois de já ter voltado ao Brasil. Eu, que nunca fui consumidora e nunca gostei de Cupnoodles, gostei do meu. O sabor é diferente e tem mais gosto de “Japão”. Um bom jantarzinho rápido.
Comi, lavei bem o potinho e vou guardar ele como lembrança por muitos e muitos anos.

Eu sei que fazer o próprio Cupnoodles parece uma coisa bem infantil, mas não é. Eu achei o processo todo bem divertido e gostei muito de ver como ele é importante para a cultura japonesa. Vale a tentativa!

Além dessa fábrica de noodles, o Cupnoodles Museum tem um espaço bem gostoso para crianças pequenas no último piso, com um mini parque que simula a fábrica real de Cupnoodles (mas essa atração é só pra crianças mesmo) e também uma praça de alimentação pra quem quiser comer macarrão.
O legal desta praça é que eles tem barracas temáricas que vendem macarrão de diversos lugares do mundo.
Dá pra comer uma macarronada italiana, um lámen japonês, um pho tailandês, macarrão coreano, várias opções. E o ambiente é decorado de acordo com o país que é apresentado.
Eu não comi por lá, pois já tinha almoço marcado na Chukagai, mas da próxima vez que eu for, quero experimentar os diferentes tipos de macarrão da Praça de Alimentação do Cupnoodles Museum.

cup noodles japonês
A praça de alimentação do Cupnoodles Museum

Ah! No andar térreo, ao lado da bilheteria, tem uma lojinha ótima, com vários souvenirs bonitinhos e com um preço bom. É uma excelente opção para presentear aquele seu amigo que gosta de comida, mas que já tem tudo.

+ Aprenda a fazer uma deliciosa Pasta de Amendoim em casa +

4. Almoce e passeie no Chukagai

chinatown
Chinatown

Chukagai é a Chinatown de Yokohama, uma das mais importantes do Japão.
A área é bem legal para passear, com diversas lojinhas vendendo produtos chineses, mas o melhor de Chukagai é ir lá para almoçar.
A região é famosa pelos Tabehoudai, restaurantes chineses em que você paga um preço fixo e pode comer o quanto quiser.
São diversos deles, todos muito parecidos e todos eles te deixarão com a impressão de que são “pega-turistas”. Mas não são. Tem muito turista, sim, mas a maior parte é de grupos de japoneses que vão lá para comer bem e relativamente barato.

Eu recomendo o Kafuku, logo na entrada de Chukagai.
Você paga cerca de 2000 ienes por pessoa (cerca de R$ 72) e pode comer à vontade, o quanto quiser.
São mais de 120 pratos de camarão, frutos do mar, carne, frango, porco, vegetarianos, tudo à sua escolha. Você olha no cardápio (tem a opção do cardápio em inglês tmabém, mas o cardápio todo tem fotos) e pede para a garçonete o que quer. O legal é que são pratos pequenos, então dá pra provar de tudo.
É bacana ir com uma turma grande, pois assim dá para pedir uma variedade maior. Você pode pedir quantos pratinhos quiser, quantas vezes quiser, só não pode desperdiçar. Se você deixar comida no prato, é cobrado uma taxa adicional, então escolha sabiamente.

kafucu
Kafuku, a minha escolha na Chukagai

Eu comi excelentes pratos de camarão e pato e pra quem gosta de Dim Sum, lá é o lugar certo. Tem Dim Sum de tudo quanto é sabor e o Thiago disse que estavam muito bons. Não deixe de pedir o pato com laranja e o camarão apimentado com maionese.

Deixe um espacinho para a sobremesa, pois tem várias opções ótimas. O que eu mais gostei era um bolo bem fofinho cozido no vapor, parecendo um pão de ló.

dim sum
Esse bolinho aí é deuso!

Prepare-se para comer muito! A comida é muito boa e você não encontra restaurantes deste tipo em qualquer lugar no Japão. Os de Yokohama são famosos no Japão inteiro.

5. Yamashita Park

yamashita fotos
Parte do Yamashita Park. Parece uma maquete.

Quando sair, provavelmente rolando, de Chukagai, provavelmente será fim de tarde e estará quase na hora de voltar para Tóquio. Mas não se preocupe, planeje um retorno sem muita pressa e tranquilo.

Se você decidir voltar a pé (que é uma caminhada longa, mas bem agradável), você pode parar no Yamashita Park e dar uma relaxada enquanto faz a digestão.

O parque, além das áreas verdes muito bonitas, fica próximo ao porto e ao terminal de navios, em uma área bem bonita e tranquila.

Paradinha estratégica para dar aquela descansada antes de bater mais perna!

6. Akarenga

akarenga soko de yokohama
Akarenga: um dos meus mercados preferidos no mundo inteiro

A sua última parada em Yokohama será o Akarenga, ou Red Brick Warehouse, um antigo galpão transformado em galeria. É uma galeria super descolada e moderna, que lembra o Chelsea Market de Nova York em alguns pontos.

O Akarenga possui três andares: o terceiro e último andar é dedicado a “Inspirar a sua Imaginação”, com bares e restaurantes que tem uma vista linda da cidade e do mar. Perfeito para tomar uns bons drinks antes do retorno a Tóquio.
No segundo andar, o objetivo é “Expandir a sua Criatividade”, com diversas lojas de arte, design e decoração. Vai dar vontade de comprar tudo!
O primeiro andar é chamado de “Espírito de Yokohama”, pois aqui estão as lojinhas que vendem produtos típicos da cidade, como biscoitos, chocolates e café.

No primeiro andar também está localizada a praça de alimentação do Akarenga, se você quiser tomar um café ou suco antes de voltar para Tóquio (já que fome você não terá por um bom tempo).

É claro que você pode ir ao Akarenga logo que chegar em Yokohama, mas eu recomendo que você vá bem antes de ir embora, pois eu tenho certeza de que você não vai resistir e vai querer fazer umas comprinhas por lá. E não é legal ficar carregando peso o dia inteiro, não é mesmo?

+ O que comprar no Japão? +

Depois de explorar bem o Akarenga e aproveitar o seu lindo jardim de flores na porta, chegou a hora de voltar para a estação de Yokohama para voltar pra Tóquio.

Tente não voltar entre 18h e 19h, que é o horário de pico. Com certeza os trens estarão abarrotados. Programe-se para voltar antes ou depois deste horário e a sua viagem de volta será tão tranquila quanto a de ida.

Seguindo este roteiro, eu garanto que você terá um dia maravilhoso em Yokohama e ficará encantando pela cidade. O seu único arrependimento será não ter passado mais uns diazinhos por lá (e também de não ter comido mais um prato no Chukagai…).

Gostou das dicas de Yokohama? Tem outros passeios imperdíveis na cidade? Deixe o seu comentário aqui embaixo.

Gosta do Magali Viajante? Então não esquece de seguir a gente em todas as mídias sociais. Tem conteúdo exclusivo para o Facebook, Instagram,Twitter,YouTube e até Snapchat. Segue lá!