Por que eu não gostei da Shimura Pães e Doces

É difícil comer em shopping. Aliás, o espaço fechado de um shopping center tem se tornado cada vez menos atrativo para mim e por isso evito ao máximo entrar nestes centros de consumo.
Se tenho que comer, sempre encontro opção melhor fora. Se tenho que comprar, priorizo as lojas que ficam na rua. Cinema? Não me animo a enfrentar uma multidão para ver um blockbuster.
Me desanima ainda mais se esse shopping for o Pátio Paulista. O estacionamento é ruim, o fluxo do shopping é esquisito e o mix de marcas não me agrada muito.
Mas invariavelmente, eu tenho que ir em algum shopping.

+ Tem que ir no shopping? Coma um bom hot dog no JK + 

Há algumas semanas, li que o famoso padeiro Rogério Shimura tinha aberto um quiosque no Shopping Pátio Paulista. Um espaço em que você pode provar os pães de fermentação natural dele. As massas são preparadas na fábrica, no Ipiranga e finalizadas na loja.
Shimura Pães e Doces - Magali ViajanteA Shimura Pães e Doces fica no mesmo piso da praça de alimentação do shopping, do ladinho da Saraiva. O ponto, apesar de pequeno, acomoda bem os clientes em duas mesas coletivas. O espaço é bonito, mas aparentemente faltam alguns detalhes de acabamento. O painel no fundo da loja, com a imagem de uma praia, não combina nada com o conceito na padaria e me parece ter ficado da loja anterior que ocupava o lugar. Mas isso não tem muito a ver com o post, só fiquei pensando nisso e queria compartilhar.

- Eu adoro me sentir na praia, mas sou só eu ou aqui não tinha nada a ver? -
– Eu adoro me sentir na praia, mas sou só eu ou aqui não tinha nada a ver? –

+ Padoca do Maní: outra padaria que decepcionou + 

Na vitrine, pães para levar pra casa, como a baguette, a ciabatta e o pão italiano, e alguns que também podem ser comidos lá mesmo, como o croissant e pain au chocolat. Eles contam também com uma parte de bolos e sobremesas, como o Red Velvet, torta de morango, muffins e bolos individuais.
Shimura Pães e Doces - Pães - Magali Viajante

Atrás do balcão envidraçado, a equipe fica finalizando os pães e montando os pedidos.

- Os pãezinhos antes de entrar no forno -
– Os pãezinhos antes de entrar no forno –

Como era hora do almoço, fui em uma das sugestões de sanduíches, que são quatro: Presunto Cru, Rosbife, Mortadela e Peito de Peru, além dos tradicionais pão com manteiga, pão com requeijão e misto.

- Opções de sanduíches -
– Opções de sanduíches –

Pedi o de Rosbife, com parmesão e molho de mostarda e mel (R$ 20). Você pode escolher o pão de sua preferência para o sanduíche: pão bola de azeitona, francês, italiano ou ciabatta tradicional.
Eu fui de ciabatta, porque adoro sanduíches feitos neste pão e queria provar um pão tradicional do Shimura.
Meu sanduíche chegou e o que ele tinha de melhor realmente era o pão. Estava saboroso, com boa textura e bem crocante. Pena que o resto do sanduíche não fizesse jus ao pão. Não estava ruim, mas os ingredientes eram tão simples e comuns que fiquei com a sensação de que teria me dado melhor se tivesse comprado o pão lá e montado o sanduíche em casa.

- Ele chegou assim à mesa. Eu dei uma arrumadinha nele para a foto de abertura do post -
– Ele chegou assim à mesa. Eu dei uma arrumadinha nele para a foto de abertura do post –

A apresentação foi outra coisa que falhou. O sanduíche chegou cortado ao meio mas literalmente jogado no prato. Do jeito que caiu, ficou. Detalhes tão simples, mas que fazem a diferença para o cliente.

Enquanto eu esperava meu sanduíche, respondendo uns emails no celular, a atendente perguntou de longe, de costas para mim e sem se importar muito se eu estava ocupada ou não, ou também sem se perguntar se o salão queria saber a minha resposta: “Moça, ô moça, você quer talher pro seu sanduíche?”. Quando percebi que era comigo, balancei a cabeça que não, mas isso me fez deixar meus emails de lado e prestar mais atenção no atendimento.

+ Aprenda a fazer uma deliciosa focaccia de paio e pimentões +

Aí, chegou meu sanduíche e uma senhora se sentou na minha frente. Eu comi tudo e ela estava apenas ali parada, com certa impaciência. Aí ela chamou a atendente que tinha se esquecido do lanche dela. Ela esperou uns 15 minutos por um sanduíche que demorava no máximo cinco para ficar pronto. E a loja estava vazia.

Prestando mais atenção ainda ao atendimento, percebi que vários clientes pediam por determinados produtos (tipo pão francês ou croissant de amêndoas) e a resposta sempre era: “Não tem não, pão francês só uma vez ao dia e hoje já acabou.” Quando alguém perguntava o que ia naquele determinado bolo ou se outro produto tinha glúten ou não, ninguém sabia ao certo responder e também não fazia muito esforço de se informar. O atendimento é triste.

Quando fiz meu pedido, além do sanduíche pedi também um Muffin de Cenoura (R$4) e a atendente me disse que serviria tudo à mesa. Terminei meu sanduíche, esperei um pouquinho e nada do bolinho. Chamei a atendente e pedi pelo muffin. Aí todo o salão de novo soube o que eu estava comendo: “Ô fulana, você comandou o muffin dessa moça? Do que é mesmo? Ah, dessa aí de lenço na cabeça? É de cenoura, leva logo pra ela…”

- Muffin de nada -
– Muffin de nada –

O muffin de cenoura não valeu o pecado e não salvou a minha experiência por lá. A textura estava ótima, bem macio e leve, mas faltava gosto de cenoura. Só tinha uma leve lembrança do ingrediente. Sabe aquele bolo de nada que a sua avó adora fazer? Pois bem, essa a minha sensação, de estar comendo um muffin muito bem feito de nada.

Fiquei chateada pelo Shimura. Sei que ele é super competente e entende bastante do assunto.
Mas se quiser ter uma experiência legal com os pães dele vá até o Ipiranga, na matriz, ou passe lá no Pátio Paulista e pegue um pão para levar pra casa.
Mas se você for famoso ou não quiser ser visto, cuidado. As pessoas olham mesmo para a fulana de lenço que está comendo muffin de cenoura.

Shimura Pães e Doces
Shopping Pátio Paulista – Rua Treze de Maio, 1947 – Bela Vista, SP – (11) 2219-2907 – Metrô mais próximo: Vergueiro ou Brigadeiro (650m)
Horário de funcionamento do shopping: segunda a sábado das 10h às 22h e domingo das 14h às 20h.
Gastei R$ 28, com uma água, um sanduíche e um muffin.

Não, não entre no shopping só pra isso…
Eu ia até trazer um pão italiano para casa, mas desanimei.

Quer conhecer a cena gastronômica paulista? Reserve o seu hotel em São Paulo por esse link do Booking. Você não paga nada a mais pela reserva e o Magali Viajante ganha uma pequena comissão, o que nos ajuda a continuar trazendo informações de viagens para você!

Gosta do Magali Viajante? Então não esquece de seguir a gente em todas as mídias sociais. Tem conteúdo exclusivo para o Facebook, Instagram,Twitter e YouTube. Segue lá!

19 comments

  • O atendimento lá é realmente triste, tanto que saí de lá brava e sem provar nada. A fila é uma bagunça e em muitos momentos o balcão de atendimento fica abandonado, pois as moçoilas estão preparando os pedidos dos clientes. Acho que deveria ter ao menos uma pessoa para ficar atendendo os pedidos e uma outra para p/ servir. Quando finalmente chegou minha vez a atendente, ao invés de me atender, perguntou quem era o próximo (sendo que eu estava bem na frente dela), no que uma mulher com cara de megera, que tinha chegado depois de mim disse que era a vez dela. Rebati, dizendo que era a minha vez e ela disse que não, que ela tinha chegado antes.

    Culpa do próprio estabelecimento também, que não organiza direito a fila e não treina os funcionários para um melhor atendimento. Parece que só o que importa é vender.

    Foi decepcionante. Reclamei do atendimento no Instagram do Shimura e levei um block, hahaha! O que mostra total desconsideração pelos clientes. Antes eu tinha até vontade de fazer um curso na escola dele, mas isso foi decepcionante.

    • Oi Cristiane,

      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Nossa, a sua experiência foi um total desastre, bem pior do que a minha.

      Realmente o atendimento lá não é bom e eles acabam perdendo muitos clientes por isso. Espero que o Shimura consiga perceber isso e reverter o problema em breve, pois acredito nele como profissional.

      Quanto ao block no Instagram, isso foi inaceitável. Infelizmente algumas empresas estão nas mídias sociais só por obrigação e não conseguem interagir com o público, e nem colocam pessoas capacitadas para gerenciar essas contas.

      Espero que as suas próximas experiências em locais que eu posto aqui no blog sejam mais agradáveis. Passe aqui mais vezes para contar, vou adorar saber.

      Um abração!

  • PÉSSIMO ATENDIMENTO !
    Alguns funcionário são extremamente mau educados , não tem capacidade para trabalhar com público. São mau educado , deixa os clientes muito tempo na fila sem atendimento , e ainda por cima escolhe os cliente q eles querem , lá é uma verdadeira ZONA . Já presenciei várias vezes o mau trato aos clientes assim tbm como fui VÍTIMA , já fui descriminada várias vezes me deixaram na fila de espera e ninguém me atendeu , outra vez reclamei pq não me atenderam uma funcionar muitooooo mau EDUCADA debateu comigo falando que se eu estivesse paciência iria me atende ,foi super grosseira não volto mais neste lugar , assim como ouvir de vários CLIENTES revoltados com o PÉSSIMOS atendimento …

    • Olá Maria Fátima,

      Fico muito triste em ler o seu comentário e ver que mesmo depois de tanto tempo da abertura, o atendimento de lá continua muito ruim.
      Espero que em uma próxima visita (se houver), a sua experiência lá possa ser melhor.

      Obrigada pela visita e pelo comentário.

      Um abraço

  • Gostei da matéria só fiquei triste com o comentário que as avós fazem bolo com gosto de nada.
    Essas grandes cozinheiras grandes boleiras são o patrimônio da grande culinária brasileira.

    • Oi, Marconi,

      Agradeço a sua visita e o comentário e convido você a reler o post, pois acho que você não entendeu o que eu quis dizer.

      Não está escrito que as avós fazem bolo “com gosto de nada” e sim que elas fazem “bolo de nada”, e o que eu me refiro são aqueles bolos deliciosos que não tem um sabor especificado, ou seja, não são de chocolate, baunilha, morango, são de nada, apenas uma mistura de farinha de trigo, ovo, açúcar e manteiga.

      De forma alguma quis ofender as vovós boleiras por aí e concordo com você que elas são muito importantes para a nossa cultura gastronômica.

      Leia de novo e veja se faz mais sentido para você agora.

      Um abraço

  • Olá Magali, aprendi que quando não estamos satisfeitos com alguma coisa, devemos reclamar, mas para a pessoa certa. Já experimentou enviar um e-mail, para o Rogério Khimura ou a seus assessores, pois me parece que a falta de competência por parte dos funcionários e o despreparo no trato com os clientes são bem visíveis. Precisam prepará-los melhor ou substituí-los. Um abraço

    • Oi Márcia,

      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Concordo com você, a reclamação pode servir de ajuda em alguns serviços e acho que temos sim que reclamar quando não estamos satisfeitos.
      Porém, acho que é papel do empreendedor, e não do cliente, verificar se a sua equipe está bem treinada e atendendo o cliente de forma adequada. Este post, além de um review como tantos outros que já fiz aqui no blog, também é uma carta de reclamação aberta sobre este estabelecimento.
      Mas mesmo com tantas visualizações, nunca tive uma resposta deles. Vai ver que as prioridades deles são outras que não o bom atendimento.

      Beijão

  • Oi Magali. Obrigado pelo seu post. É uma pena mesmo as empresas deveriam se atentar quem contratam, devem selecionar muito bem e por um gerente acima da média. Não adianta por um gerente do mesmo nível que os funcionários, têm de ser mais qualificado, já presenciei em muitos lugares que o gerente tinha o mesmo palavreado baixo dos funcionários, não tinha o mínimo de eloquencia( não precisa ser o prof. Pascualli) mas têm de ter um nível cultural ( no sentido de conhecer o produto que está vendendo e no tratamento aos clientes) isso normalmente acontece com grandes redes que alcançaram um prestígio. O funcionário pensa que ele é o dono e como a rede é famosa acha que quem está fazendo um favor é ele e não o cliente. Mas isso tudo é falta de um bom gerenciamento.

    • Oi Allan,

      É bem por aí mesmo…
      Vamos torcer para eles melhorarem o atendimento.

      Um abraço

  • Olá Magali. Realmente o atendimento e a na fila super desorganizada chatea bastante. Porém a aquela luz no fim do túnel. Adoro os pães, os lanches e algumas tortas são de mais . Porém o meu preferido é o cookie. Nossa nunca comi em outro lugar cookies tão gostosos, vale a pena voltar lá no novo espaço deles na espansão do shopping para dar uma reavaliada e tentar saborear algumas outras delícias que eles produzem 😉.

    • Jucimara,

      Valeu pela dica, mas tem alguns lugares que basta uma visita para saber que nunca mais se deve voltar.
      Prefiro gastar meu dinheiro em outro lugar!

      Um abraço

  • Já comi algumas vezes na padaria shimura do shopping cidade de São Paulo. A qualidade do atendimento é inversamente proporcional à qualidade dos produtos. Minhas últimas experiências, no entanto, foram as piores. Há cerca de um mês meu namorado chegou em casa com pães complementamente diferentes do que havia pedido e, hoje, foi minha vez de não trazer no pacote um dos pães pelos quais paguei. O balcão deles é alto, é difícil de ver o que está sendo embalado. Enviei mensagens no Facebook e publiquei uma foto no Instagram e amanhã irei lá reclamar, mas não pretendo voltar a comprar deles, tem uma padaria bem melhor na são Carlos do pinhal, há uma quadra desse shopping, a pão de lo, la o atendimento é bem mais eficiente.

    • Oi Wandercilia,

      Obrigada pelo seu comentário.

      Fico triste em saber que mesmo depois de tanto tempo, eles ainda não resolveram os problemas básicos de atendimento.

      Faz muito tempo que não vou à Pão de Ló, vou passar lá um dia desses para ver como está.

      Um abraço

Submit a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *