Onde comer em Lima, para a Priscilla!

Para quem lê o blog há pouco tempo, deve não saber que o Magali começou porque muita gente me pedia dicas de onde comer, para onde viajar, o que fazer da vida…
O meu primeiro post aqui no blog foi sobre cafés da manhã para a Ana, já teve também dois de Los Angeles para a tia Eri e o tio Kenji, e tantos outros assuntos que eu ainda estou devendo posts para amigos queridos!

Eis que há uns quinze dias atrás, eu estava em um churrasco de um amigo, e conversa vai, conversa vem, conheci a Priscilla, que está indo para Lima e quer dicas de onde comer por lá. Lógico que prometi que mandaria dicas para ela, mas logo veio na minha cabeça: post novo para o blog!

A minha história com Lima é antiga… Para quem não sabe, o Thiago se mudou para lá logo no começo do nosso namoro, para passar uma temporada trabalhando em um restaurante peruano. E eu fiquei aqui, de coração partido, chorando as pitangas de namorar por Nextel (nem Skype e Facebook tinha naquela época, minha gente!), mas no final, deu tudo certo, ele voltou, e a gente casou, e o resto é história para contar no blog!

Desde então, ele, que ficou apaixonado pela comida do país, sempre falava que queria me levar lá um dia, que a gente tinha que ir lá. Decidimos ir passar fugir um Carnaval lá em 2012, e foi simplesmente uma das viagens mais interessantes gastronomicamente que já fiz!

Tirando a gastronomia, gostei muitíssimo da cidade, bonita, histórica, com praia, civilizações antigas, amigos queridos que não via há tempos, e mais um montão de coisa que me encantou. Mas a comida, era A comida! Foi a única vez da minha vida que almocei em dois restaurantes diferentes no mesmo dia…

Lá, você encontra diferentes opções de restaurantes, desde os mais sofisticados, com estrelas Michelin, até os mais simples, da tiazinha que cozinha na esquina, com uma comida incrivelmente boa. Você escolhe a opção de acordo com seu perfil, vontade do dia, e bolso, of course (se bem que os restaurantes de lá são beeeeeeeeem mais baratos que os daqui. Cinquentinha resolve fácil a vida!)

Vou falar sobre os que eu visitei, e como sei que a Pri está procurando algo mais fancy, já que estará com os pais, vou dar algumas diquinhas de lugares que não fui também, mas que já ouvi maravilhas.

1) La Mar
O número 1 de Lima para mim, obviamente (ai, como sou previsível), é a Cebicheria La Mar. Parada obrigatória na cidade, o La Mar de lá é do mesmo grupo  que o daqui, mas sinceramente, não tem nada a ver. O de lá é bem melhor, dá de dez a zero no daqui, além de ter um preço bem mais justo.
Explico: o La Mar foi concebido pelo chef Gastón Acurio no Peru. Lá, tem todos os ingredientes originais, os peixes frescos da Costa do Pacífico, além de ter os peruanos cozinheiros que mandam muito bem!

Imagem
– Ambiente super descontraído e animado –

Espere um almoço ULTRA agradável, em ambiente gostoso, perfeito para passar a tarde jogando conversa fora, comendo ceviche e bebendo pisco sour adoidado!
Se você der muita sorte, o “cevicheman”do dia será o Jesus, o cara que faz o melhor ceviche da história do universo, um dos mais experientes do ceviche bar (não sei se ele ainda trabalha lá, mas se ele estiver por lá, esteja preparado para se jogar no ceviche, si o si!). Se ele não estiver por lá, não se descabele, a equipe é eficiente e mantém a qualidade lá no alto! Para você ter uma ideia de como o cara é importante, é ele que aparece na home do site do La Mar mundial. Sentiu a responsa?
Do cardápio, peça tudo o que puder! Mesmo! Tudo lá é delicioso e vale a pena! Não que eu tenha provado tudo, mas tenho informações privilegiadas me investiga, NSA! de quem já trabalhou lá dentro, de que a coisa é top mesmo!

Vamos ao que eu provei: Degustação de ceviches, é o statement dish da casa, e você não pode deixar de provar, nem em um milhão de anos! (Pri, sei que você não come peixe, mas faz uma forcinha só hoje, vai!)
A degustação vem com três tipo de ceviche: o tradicional; o mixto, com peixes e frutos do mar variados, e o nikkey, com atum e leite de tigre de tamarindo. Quem avisa, amigo é: vai ser quase impossível escolher um preferido. É de comer de joelho, chorando, rezando (sei lá como é este ditado), de matar, mesmo!!! Água na boca, parte 1…

Imagem
– A nossa era privilegiada, tinha 5 tipos de ceviches –

Depois do ceviche, você pode escolher entre as várias opções do cardápio. Para os que não curtem muito peixe, como a Pri, aconselho o Lomo Saltado (filet mignon salteado com cebola roxa, tomate, cebolinha e um molho à base de tomate e shoyu, uma mistura deliciosa da cultura peruana com a chinesa), ou o Tallarin Saltado, o lomo saltado com macarrão. D-I-V-I-N-O!

Imagem
– Onde descobri o amor pelo arroz –

Todos os dias, eles também escrevem em lousas no restaurante, as opções de pratos do dia. Foi aí que encontrei um dos melhores arrozes que já comi em toda a minha vida: o Tapadito Charapa, um prato de arroz, com banana da terra e peixe amazônico. Podia facilmente comer isso todo dia.
Torça, faça mandinga, promessa, o que quiser, para ter esse arroz quando você for lá. Mas se não tiver, não se desespere, todos os arrozes da casa são magnânimos palavra que aprendi hoje!

Imagem
– Água na boca, parte 2 –

Como um almoço não está completo sem álcool, e os bartenders do La Mar são bom pacas, não deixe de provar os coquetéis de lá! Para começar peruanamente, peça o tradicional Pisco Sour (desafio você a parar no primeiro!). Também recomendo o Chilcano de Pisco, e o Amateratsu.

Imagem
– Plantaram esses copos na minha mão. Eu juro que não era tudo meu! –

Sobremesas não são o forte da cozinha peruana, mas lá tem bons picarones, que são uns donuts bolinho de chuva, feitos de abóbora e especiarias. O legal deste doce é que o formato é dado pela mão da pessoa (o que é meio difícil), então somente pessoas bem habilidosas conseguem fazer um doce bom e bonito!

Imagem
– Olha os picarones feitos à mão –

O que mais gostei de lá: Tudo!
O que menos gostei de lá: Que fica no Peru, e não aqui do lado da minha casa!
Dica que vale ouro: Os peruanos não comem ceviche no jantar de jeito nenhum. Logo, não espere se acabar no prato nacional depois do pôr do sol! Em tempo: por ser uma cevicheria, o La Mar só abre em que horário? Adivinhou, no almoço!

Resumindo: Largue tudo, saia correndo e vá lá agora! É demais!!!

Cebicheria La Mar (http://www.lamarcebicheria.com/lima/)
Avenida La Mar, 770 – Miraflores – (51 1) 4213365
Segunda à quinta, das 12h às 17h; sexta à domingo e feriados, das 12h às 17h30.
Você vai gastar uns 130 soles, ou R$ 100, para comer até explodir – entrada, prato, sobremesa e um coquetel… Vale muuuuito!

2) Astrid y Gastón

Imagem
– O amuse bouche já é uma lindeza! –

O Gastón Acurio, dono deste restaurante, do La Mar e de muitos outros do Peru, é o verdadeiro chef celebridade da América Latina. Que Atala, que nada! Ele, há muito tempo, divulga a gastronomia de seu país como forma de alavancagem do país.
O nome deste restaurante é nada menos do que o nome dele e da esposa. O mais refinado do grupo, vale a pena cada centavinho pelo seu menu degustação de oito tempos.

Imagem
– Vieiras –

Se você estiver procurando um lugar mais sofisticado, da high society mesmo, mas com comida excelente e preço que consegue pagar, vai lá no Astrid. Imprescindível reservar antes!

Imagem
– Polvo –

Bonito ambiente, para ter toda a experiência que o Astrid y Gastón pode te oferecer peça o menu degustação.
Você vai passear por toda a culinária peruana, da tradicional à mais moderna, sempre com um toque de contemporaneidade e sofisticação.

Imagem
– O ceviche –

Desde o couvert até a sobremesa, são 13 pratos, todos igualmente incríveis. Destaque para o peixe mantequilla, delicado e delicioso.

Imagem
– Peixe manteiguinha –

Quando você não aguenta mais comer, e acha que já viu todos os pratos esteticamente lindos, eles vão te mandar uma caixinha de doces que é a coisa mais fun, lúdica e fofa. Impossível resistir, mesmo de barriga cheia!

Imagem
– Não é linda de morrer a caixinha de doces? Quase escondi na bolsa e trouxe para casa (aloka!) –

Pri, acho esse aqui perfeito para jantar com seus pais!

O que mais gostei de lá: Difícil dizer, mas a caixinha de doces é um charme, e fecha a refeição com chave de ouro!
O que não gostei muito: Putz, não consigo me lembrar, mesmo!
Dica que vale ouro: Atualmente, ele é considerado o número 18 dos melhores restaurantes do mundo. Uma boa diversão é tentar completar a lista de comer em todos os 50. Dá para começar no Peru!

Astrid y Gastón (http://astridygaston.com/)
Av. Paz Soldán, 290 – San Isidro
O menu degustação deve estar custando uns 350 pesos, ou R$ 280 reais. Vale a pena!

3) Tanta
Já prevejo pessoas comentando aqui no blog que eu devo estar recebendo algum dinheiro por fora do Gastón para fazer tanta propaganda do restaurante dele haters gonna hate, mas não é verdade, é que o cara é bom mesmo.
Conheci o Tanta da primeira vez que fui ao Chile, e adorei! É um restaurante simples, divertido, e bem despretensioso! Faz comida caseira peruana, de uma forma jovial. Perfeito para um almoço rápido com lomo saltado e tiradito!

Imagem
– Lomo saltado matador –

Imagem
– Esse tiradito até emociona! –

Tem também uns lanchinhos, menu de café da manhã, saladinhas… mulheres normalmente adoram…
Quando fui, eles também estavam fazendo um Festival de Chilcanos de Pisco, uma bebida alcoolica a base de pisco e ginger ale. Tomei de montão!

Imagem
– O Thi, na difícil missão de decidir qual seria o Chilcano da vez! –

Pri, perfeito para um almocinho rápido com seus pais, entre um passeio e outro!

Tanta (http://www.tantaperu.com/)
Av. 28 de Julio, 888 – Miraflores – (511) 447 8377 – Tem também mais oito endereços, como no Shopping Larcomar.
Todos os dias, das 8h à 0h.
Você vai gastar uns R$ 50 para comer bem!

4) El Muelle
Parei de fazer propaganda do Gastón! Tá com vontade de comer aquele ceviche perfeito, enorme e tradicional, sem se preocupar com a beleza do restaurante, em um ambiente bem roots? Este lugar é o El Muelle.
Restaurante do povo da região, na hora do almoço vem muita gente dos escritórios almoçar. É assim, meio feinho, meio sujinho, mas o ceviche é delicioso!

Imagem
 De boca no ceviche –

Peça pratos bem tradicionais: ceviche, causa, arroz… não tem erro! Mas fique atento ao tamanho dos pratos, são gigantes!
Baratinho, delicioso, perfeito para o último dia de viagem, quando você já gastou todo o dinheiro.

El Muelle
Jr. Alfonso Ugarte No. 225 – Barranco (pertinho do supermercado Metro)
Não tem site, horário de funcionamento, nada…
Acho que hoje se gasta uns R$ 70 para duas pessoas.

5) La Lucha Sanguchería
Tá no meio do micotour city tour e bate aquela fominha. Nada como um sanguche do La Lucha.
Muito legalzinho o lugar, no meio do centro de Lima, perto de umas ruas e pracinhas barulhentas. Sente-se no balcão, peça um sanduíche e um suco, e seja feliz!!
Perfeito para matar aquela fominha desesperadora do meio da tarde.
Os sanduíches são diferentes do que a gente conhece, deliciosos. Ainda mais se acompanhado de um suco hiper gelado que quase congela o cérebro (vocês já tiveram essa sensação?).
Peça o de Chicharrón, uma delicinha, com suco cremoso de lúcuma com leite. Vai na minha, não tem erro!

Imagem
– Olha ele aí! –

La Lucha (http://www.lalucha.com.pe/)
Pasaje Champagnat 139 – Miraflores
Lanche + suco vai dar uns R$ 17. Melhor que McD’s, ahn?

6) El Tio Mario
Quer comer em um lugar beeeem tradicional? Quer se arriscar no anticucho, espetinho de coração de boi, que é uma delícia de gostoso? Vai no Tio Mario!
Lugar de peruano, limeño, quase não tem turistas, o “tal”do Tio Mario prepara os melhores espetinhos da cidade dentro de um restaurante (porque tem várias pessoas que juram que os espetinhos vendidos por ambulantes em volta do estádio são os melhores do mundo!).
Perca o medo, prove o mais tradicional de todos, o de coração de boi (que é dificílimo de achar aqui em SP), com uma espiga de milho, uma chicha morada, e um picarones de sobremesa (o daqui é TOP, melhor do que o do La Mar!!!).
Passeio mais peruano, impossível!
Sente-se na varanda, aí você vai ter uma linda vista de Barranco, bairro super fofo e romântico!

Imagem
– Anticucho de coração, de frango e um milhinho, para quebrar a gordura! –

El Tio Mario 
Jiron Zepita, 214 – Barranco – (1) 477-0301
Não me lembro quanto era, mas era baratinho!!!

Os que eu não fui, mas não posso deixar de citar…
Esses restaurantes eu não tive o prazer dinheiro para ir, mas estão entre os 100 melhores do mundo, e eu ouvi ótimas recomendações sobre eles. Vale a pena testar e contar aqui no blog o que achou!

– Central – número 15 do mundo
– Malabar – número 95 do mundo

Como disse, não conheço nenhum dos dois (quem sabe no próximo Carnaval, se todos meus planos derem certo?), mas sei que fazem comida peruana contemporânea. Valem a visita!

Gostaram do post? Se tiverem alguma sugestão, ou algum tema específico que queiram ler, pode ser que a Magali já conheça e possa ajudar!

 

18 comments

Comments are closed.