O Burger Joint Brasil é Igual ao de Nova York?

Nesta segunda feira, dia 21, foi inaugurada aqui em São Paulo a primeira unidade do Burger Joint Brasil, filial da famosa casa “escondida” de Nova York.

burger joint brasil
Siga o hambúrguer!

Desde que os planos de abertura da casa foram anunciados, muito se questionava se o formato seria idêntico ao de Nova York ou se muitas adaptações seriam necessárias para adequar a casa ao mercado brasileiro.

Eu estive no Burger Joint original, de Nova York, em 2012 e comentei sobre a visita em um post no link abaixo.

+ Burger Joint e outros lugares para comer em Nova York +

E ontem fui conhecer a versão brasileira, no segundo dia de operação da casa.
Por ser uma novidade gringa e como os brasileiros adoram um buzz, já me preparei para pegar imensas filas. Mas a operação estava melhor do que eu imaginava e as filas, muito menores.

burger joint sp
A fila das 21h de terça feira no Burger Joint

A primeira unidade do Burger Joint Brasil fica na Rua Bela Cintra, quase esquina com a Oscar Freire. Não tem placa e as únicas formas de saber que ali é o lugar são o endereço, o valet na porta, as filas e o neon de hambúrguer que foi tão fotografado e instagramado em NY. Uma forma de manter a mística de secreto do lugar.

burger joint burgers
A fachada do Burger Joint é assim, pra você se achar!

Pegamos a fila na porta, mas ainda sem sair do restaurante.
No ambiente, os caras realmente capricharam e deixaram com a cara do de NYC. Um pouco escuro, paredes e mesas com as assinaturas e escritos dos clientes, barulhento, uma pequena área de atendimento ao fundo, o cardápio escrito à mão em um papel kraft. Até a cortina vermelha que separa o hotel do joint eles trouxeram, desta vez pra separar os banheiros do salão. Nada refinado, mas totalmente de acordo com o conceito da casa.

Burger Joint Brasil - Ambiente - Magali Viajante
Ambiente do Burger Joint Brasil

+ Assista ao quinto episódio de Comidas Bizarras: escargot +

Em Nova York, o indicado é que você entre na fila, pegue o seu lanche e só aí você encontre uma mesa pra sentar. Sem essa de guardar mesa. Aqui, perguntamos para uma pessoa da casa como funcionava e ele mandou um simples: “Se vira!”. Aí que você vê pessoas se tornando selvagens por causa de uma mesa.
Outra coisa que é bem diferente, mas isso não é responsabilidade da casa, e sim um hábito do brasileiro é que por lá, as pessoas sentam, comem e desocupam o lugar para os próximos sentarem. Aqui vira lugar de conversa, namoro e demora nas mesas. Até por isso que forma mais fila ainda.

O cardápio, como o de NY, traz poucas opções: primeiro você escolhe se prefere hambúrguer (R$ 23) ou cheeseburguer (R$ 25), normal ou duplo (R$ 35 o burger e R$ 39 o cheeseburguer); depois decide o ponto da carne e por último, quais serão os acompanhamentos: alface, tomate, picles, cebola roxa, ketchup, mostarda e maionese. Se quiser tudo, peça “The Works”.
Ainda tem batata frita, por R$ 8, refri ou água a R$ 5, chopp Heineken a R$ 9 e milkshake Ben & Jerry’s a caros R$ 25.

burger joint menu
Detalhe do cardápio

Nós encontramos uma mesa rapidamente e do momento que entramos na fila até recebermos os lanches foram cerca de 30 minutos. Achamos rápido por ser o segundo dia de operação.
Nos pareceu que a equipe de cozinha está bem afinada, trabalhando rápido e de forma eficiente. Aparentemente, tiveram um bom treinamento e estão dando conta do recado.

classic burger joint
Cozinha do Burger Joint: pequena, mas eficiente

Pedimos dois cheeseburguers “The Works”, duas porções de batata frita e uma água.

A batata vem em um saco de papel de pão e o lanche vem embrulhado em papel. Sem bandeja, você pega e leva tudo na mão, como é feito em Nova York.

burger joint design
O lanche vem assim e o detalhe das mesas, onde você pode escrever à vontade

A porção de batata frita é bem servida, mas no momento em que provamos uma das porções, estava impossível de comer, de tão salgada que estava. Entenda, ela não estava salgada para o nosso paladar, ela estava salgada a ponto de um hipertenso ter um ataque ali mesmo. “Incomível”, como dizem por aí.
Fomos até o balcão e pedimos pra trocar. A equipe nos atendeu prontamente e nem perguntou nada, apenas pegou a batata salgada e nos deu uma nova porção. O cara que parecia o supervisor da operação fez um alerta para o pessoal que estava cuidando das batatas: “Cuidado aí com o sal das batatas, galera!”.
Como eu sempre digo aqui no Magali, não tem problema nenhum errar, a questão é como você resolve os problemas. E aí, mais uma vez tivemos um indício de que a equipe estava bem treinada. Resolveu o problema de forma simples, sem constranger o cliente. Ponto para a equipe!

Depois disso, com batatas fritas com o sal correto, começamos a comer. A batata é bem boa, quentinha, crocante, macia por dentro e saborosa. Se você gosta da batata do McDonald’s, com certeza gostará da do Burger Joint. É a mais parecida com a do Mc que eu já provei.

burger joint exterior
Batata frita do Burger Joint: se não estiver muito salgada, é deliciosa!

+ Tradi: não é perfeita, mas é bem boa +

O ketchup é normal, da Heinz, mas prove a mostarda, que é do tipo Dijon. Uma delícia e faz toda a diferença no lanche.

O burger é bem parecido com o de Nova York, na aparência, no tamanho e também no sabor.
Achamos ele mal montado, pois o pão de baixo estava bem molhado e meio empapadão e o lanche tinha uma quantidade exagerada de molho (maionese, ketchup e mostarda), o que tirava o gosto do restante das coisas.

burger joint interior
O burger: molho demais e pão empapado

A carne em si estava boa, no ponto que pedimos, bem mal passada, com bastante gosto de carne e boa textura, mas achamos que o sal que sobrou na batata, faltou no burger.
O pão era simples, nada demais e não senti tanto o gosto dos acompanhamentos. Eu que adoro picles, não lembro de ter encontrado um no meu lanche, mas em contrapartida, a cebola roxa estava ótima, bem lavada e fininha.

+ Bullguer: simples e ótimo! +

O burger é bom, é gostoso, mas tive a mesma sensação em Nova York: nem de longe é o melhor de NY e nem de longe é o melhor de São Paulo.

burger joint instagram
O Thiago achou o burger pequeno para um homem ou uma pessoa com muita fome

Enquanto comíamos, a casa ia esvaziando e em algum momento, por volta das 22h, não tinha fila nenhuma e vários lugares para sentar. Era chegar, pedir, receber o lanche rapidamente e comer com conforto em uma mesa.
Crise? Pouca publicidade? Terça feira?
Talvez um pouco de tudo isso, mas pelo sim, pelo não, eu não deixaria pra ir conhecer a casa na sexta ou no sábado à noite.

burger joint jardins
Sem filas e movimento bem tranquilo às 22h

+ Katz: bom burger e ótimo custo benefício +

Todo o buzz em torno do Burger Joint no mundo inteiro se dá pelo conceito da casa, de ser meio secreto, meio clandestino e isso é bacana e tem seu valor sim!
O de SP me surpreendeu em ser bastante fiel à casa mãe. Não é o melhor burger do mundo, mas é uma experiência diferente, divertida e que eu voltaria sim.

burger joint veja
Desafio: ache a Magali Viajante no Burger Joint

Se você quiser comer um burger muito bom, tem alguns outros lugares pra ir: Monday Night Burgers, Bullguer, Tradi, ou até no Katz, com custo benefício excelente.

+ Veja porque o Monday Night Burgers tem o melhor burger de SP +

Agora se quiser viver a experiência e ficar um pouco nostálgico, com NY feelings, o lugar é o Burger Joint Brasil.

Burger Joint Brasil (http://www.burgerjointny.com/)
Rua Bela Cintra, 2116 – Jardins – SP – (11) 2495-1019 – Metrô mais próximo: Consolação (1,2km)
Domingo a terça, das 12h às 23h; quarta, das 12h à 0h; quinta a sábado, das 12h à 01h.
Gastamos R$ 71, com os itens descritos acima.

E você, já foi no Burger Joint Brasil e no de NY? O que achou? Deixe seus comentários.

Gosta do Magali Viajante? Então não esquece de seguir a gente em todas as mídias sociais. Tem conteúdo exclusivo para o Facebook, Instagram,Twitter,YouTube e até Snapchat. Segue lá!

9 comments

Submit a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *