Nanako: buffet japonês tradicional gostosinho e sem frufrus!

No final de semana fomos em um aniversário no Restaurante Nanako, um restaurante antigão e bem tradicional japonês, que ao invés de se render à moda do rodízio, preferiu apostar no formato buffet, com tudo à vontade, no famoso esquema “se-se serve-se”.

Imagem
– Ambiente do Nanako –

Quem conhece ou frequenta restaurantes japoneses tradicionais, sabe que ambiente não é o forte deles, tampouco excelência no atendimento. O restaurante é grande, não é bonito, é meio bagunçado, tem pratos de plástico, mas estranhamente, você se sente meio que em casa (vamos deixar bem claro, minha casa não é bagunçada e nem tem pratos de plástico, ela é bem bonita e cheirosinha).

Imagem
– Sushis e sashimis –

O buffet é dividido em duas grandes estações: uma só de sushis/sashimis, saladas e legumes tipicamente japoneses, do tipo: gobo (bardana), acelga, salada de algas e outra com friturinhas japoneses (e você aí achando que os japoneses eram mega saudáveis e não comiam nenhuma gordura, eles adoram uma fritura!). E olha que os japoneses são bons da fritura, viu? É só ver o pastelzão da feira! Tem tempurá de legumes, salgadinhos de festa, chicken katsu, tonkatsu, gyukatsu, e o melhor de todos, meu preferido: camarão empanado (pena que no dia eu só consegui comer um, porque os vovôzinhos comeram tudo na minha frente!).

Imagem
– Friturinhas japonesas –

Além disso, ainda tem uma parte com ostras frescas (não muito saborosas, provavelmente de Cananéia), yakissoba e chawan mushi, um prato que os japoneses adoram, mas difícil de achar nos restaurantes.

Imagem
– Afrosidíaco, hahahaha! –

Você ainda pode pedir shimééééééji na chapa e temaki (isso se tiver sorte do garçom lembrar de você, porque no meu caso, depois de pedir três vezes um temaki e ele nunca chegar, busquei direto da fonte, e pedi direto ao sushimen. O atendimento, aliás, é um issue: os garçons não estão muito aí para você, alguns itens demoram para ser repostos e as garçonetes berram pedindo os pratos na cozinha (perdi as contas de quantas vezes caí na risada ao estar quase com um sashimi na boca e ouvir um
“-Camarããããããão!”em alto e bom som!

Imagem
– Sushimen me salvando da vontade incontrolável de um temaki! –

Mas a comida é boa, gostosa, fresca. Obviamente, não é o melhor sashimi que já comi na vida (alô, TenSushi!), mas vale a pena pela grande variedade de pratos à sua escolha. Bom porque agrada muita gente, até quem não gosta muito de comida japonesa. Gostei também da opção do buffet pois diminui o desperdício do rodízio (motainai, né?)

Vamos aos highlights:
– o chawan mushi é sensacional, lisinho, sem nenhum furinho, temperado na medida, com camarão, kamaboko e shiitake dentro. Dos bons!
– buri fresquinho, de excelente qualidade e em quantidade farta. Um sucesso!

Minha conclusão: não é o melhor do mundo, mas vale a pena. Se der vá, com certeza! Mas alinhe expectativas: não vá com o bofe, achando que vai ter um jantar romântico; e nem com um grupo de amigos, achando que vai ser um mega jantar descolado… é um restaurante de pessoas mais tradicionais, não muito ligadas em novidades e tendências, perfeito para ir com mães, tias e avós que gostam de comida japonesa boa, fresquinha e sem frufrus!

O que mais gostei de lá: Chawan-mushi e sashimi de atum à vontade!
O que não gostei muito: a ostra não era tão saborosa assim, e a reposição do camarão empanado deixou a desejar: os vovôs estavam implacáveis!
Dica que vale ouro: Tente sentar longe da cozinha para não ficar surdo com os berros entre equipe de cozinha e salão. “-Tempuráááááá!!!!”

Ah! Vá na unidade de Moema, ouvi dizer que a unidade do Brooklin é bem ruimzinha….

Nanako (http://www.nanako.com.br/)
Avenida Lavandisca, 627 – Moema – 5052-7030
Segunda à quinta, das 11h30 às 15h30 e das 18h30 às 23h30; sexta, sábado e feriados, das 11h30 às 16h e das 18h30 à 0h.
Buffet de jantar aos finais de semana sai por R$ 67.