Mochilão em Londres: 13 Dicas pra Quem Quer Viajar Barato

A minha amiga Priscilla, do blog Voltei de Viagem, está indo fazer um mochilão incrível por Londres, Paris e Amsterdã e me pediu algumas dicas. Eu já tinha dado outras dicas para a Pri e fiquei muito feliz que ela voltou (significa que gostou, né, amiga?)

+ Confira as dicas que dei para a Pri sobre a cidade de Lima, no Peru +

Pra quem não sabe, eu morei em Lyon em 2009 e fiz um mochilão de um mês inteirinho pela Europa. Foi a viagem mais incrível da minha vida e tenho certeza de que eu preciso refazer este roteiro em breve.

+ Dicas de Lyon, uma das cidades mais legais da França +

- 16 kg nas costas e uma vontade no coração -
– 16 kg nas costas e a vontade de conhecer o mundo no coração –

Para preparar este post para vocês, eu comecei a ler algumas coisas que fiz na época, ver se todos os lugares que fui ainda existiam (afinal, era 2009), vasculhar meus HDs externos para achar fotos, vídeos, referências, ou seja, qualquer coisa bacana que eu pudesse usar aqui. E aí, além de risadas, lágrimas e muito saudosismo, eu descobri (descobri, porque nem eu nem o Thiago lembrávamos da existência disso) que tenho vários vídeos dessa viagem. Na época, a gente tinha comprado uma filmadora (yes, people, era 2009, filmadoras ainda eram legais) e saiu filmando tudo o que via pela frente. Na época, eu nem imaginava ter um blog, mas para a minha surpresa (olá, destino, olá, mundo dando voltas), o material tem um mega potencial para o blog, porque eu vou apresentando e falando um pouquinhos dos lugares. Até parece que eu já sabia.
Na verdade, acho que fiz isso pra mostrar pra minha família todos os cantos que passei. Mas no final,  não mostrei pra família, deixei esquecido em um HD, não sei onde enfiei a filmadora.

Mas como esse material é muito bom para ficar assim guardado, comecei a publicá-los no meu canal do YouTube com o nome “Arquivos da Magali”. Não tem edição, não tem cortes, não tem filtro, a imagem não é lá grandes coisas. Mas tá super bacaninha.
Até semana que vem, vou postar um vídeo deste arquivo por dia. Para começar essa semana temática de Londres, todos os vídeos serão sobre a cidade, e semana que vem, na quarta tem post aqui sobre Paris e vídeo no canal sobre a cidade. E assim vai!
O primeiro mostra a Magali (que na época era só Milena) chegando em Londres de trem. Dá o play!

+ Assista todos os vídeos do Japão que a Magali fez + 

Mas vamos falar sobre Londres. 

Londres é uma cidade que vive no imaginário do brasileiro. Todo mundo uma vez na vida já pensou em morar lá (ou já morou).
A cidade é cara, barulhenta, cinza, frenética, mas tem sim seus encantos.

Se você, como eu e a Pri está indo para Londres de mochila nas costas e sem muito dinheiro no bolso, confere essas 13 dicas para não gastar muito na cidade.

(Um breve adendo: não reparem nas fotos, na minha roupa, no meu cabelo, na minha cara. Afinal, era 2009, eu estava viajando uns 10 países por 30 dias com uma mala de 16 quilos nas costas. Dá um desconto, vai!)

1. Fique em um hotel/hostel/casa bem localizados e minimamente limpos e confortáveis

- Eu fiquei aqui, perto de St. Pancras: localização excelente, mas hotel medonho -
– Eu fiquei aqui, perto de St. Pancras: localização excelente, mas hotel medonho –

Londres tem a mania de ter hotéis caros e ruins. E quando eu digo ruins, são ruins mesmo, sujos, esquisitos, muquifão (mas boa parte da Europa sofre com isso).
Mas tendo muito dinheiro ou não, essa é a regra número 1 de um mochilão: você precisa dormir bem!
De nada adianta você economizar na dormida para gastar na balada, se você vai estar morto e não vai conseguir nem levantar a mochila. Viajar de mochila, é por si só, bem cansativo, então você precisa ter um lugar bom para voltar todas as noites para poder seguir viagem.

Na época, eu tinha pouquíssimo dinheiro para viajar e igualmente pouca experiência de viagem. E aí acabei caindo em uma enrascada no hotel que eu reservei. Ele tinha nota 6,9 na época no Booking e apesar de um pouco caro, era o melhor que eu podia pagar.
Chegando lá, o quarto estava tomado de moscas em um ponto específico do teto do banheiro, como se houvesse um presunto alguma coisa morta por lá. O hotel estava cheio e o único quarto disponível para mudarmos era no subsolo, ao lado da entrada de funcionários, que ficavam fumando lá a noite toda e era sujo, apertado, desagradável. Como eu já tinha pago, não podia procurar outro. Mas tenho certeza que a minha experiência em Londres não foi mais legal por causa do hotel. Não ter onde dormir bem me deixou cansada e azedou o pé do frango alterou o meu humor na viagem.

Ah! Este hotel é o Wardonia, perto de St. Pancras e hoje ele tem nota 7,7 no Booking. Não recomendo nem pra minha pior inimiga só pra aquele piriguete que dá em cima do meu marido.

Sério, economize em outras coisas, mas não na dormida.

2. Visite e coma nos inúmeros mercados de Londres: Borough Market, Inverness Street Market, Camden Lock Village, The Stables, Covent Garden…

- Essa foto um dia vira livro -
– Essa foto um dia vira livro –

Londres tem muitos mercados de comida. Além de serem um excelente passeio e não custarem nada, eles sempre tem opções baratinhas de comida boa.

- O melhor mercado de Londres -
– O melhor mercado de Londres –

No Borough Market, por exemplo, eu comi a melhor salada italiana da minha vida (sério gente, uma salada que eu lembro até hoje) e provei a tal da Shepherd’s Pie.

- Salada italiana deusa do Borough Market -
– Salada italiana deusa do Borough Market –

Este também é o meu mercado preferido de Londres: tem coisa pra caramba, frutas lindas, sucos naturais e uma parte de comida linda.

- Tradicionalíssima Shepherd's Pie -
– Tradicionalíssima Shepherd’s Pie –

Já no Inverness Street Market ou no The Stables, lá em Camden Town, tem uma infinidade de barraquinhas e lojinhas de comida de todos os tipos: thai, vegetariana, oriental, indiana.

- Comida para todos os gostos e bolsos pequenos -
– Comida para todos os gostos e bolsos pequenos –

Umas coisas que eu nunca tinha visto na vida e um cheiro de abrir qualquer apetite. Tudo isso por um precinho camarada (camarada para os padrões de Londres né, não para o nosso famigerado real).
Londres - The Stables - Magali ViajanteUma vez em Londres, você precisa provar os clássicos. E tira essa ideia da cabeça de que lá não tem comida boa. Tem comida boa e ruim, como em qualquer lugar, é só garimpar. Pra comer o clássico Fish&Chips, o lugar é o Camden Lock Village. Tem uma barraquinha ótima que serve o prato lá, bem em frente as motos.

- Camden Lock Village: demais! -
– Camden Lock Village: demais! –

Compre o peixe, sente na moto e decida se o Fish&Chips é bom ou não, afinal. Eu adorei!

- Clássico e delicioso Fish & Chips -
– Clássico e delicioso Fish & Chips –

Lá tem até uma barraquinha com coisas brasileiras, pra quem estiver com saudade da comidinha de casa.

No Covent Garden, que é mais hipster, além de restaurantes, tem várias barraquinhas e uns lugares que vendem doces ótimos.

- Covent Garden -
– Covent Garden –

Eu realmente achei que não dava para entrar em NENHUM restaurante de Londres, ainda mais com o dinheiro que eu tinha. Para economizar então, essa é a dica: coma na rua, e ainda economize o tempo que você ia gastar sentando em algum lugar.

3. Falando em comida, coma no Prêt-à-Manger

- Um dos milhares de Pret que tem em Londres -
– Um dos milhares de Pret que tem em Londres –

Uma outra opção de comidinha relativamente barata e bem gostosa é o Pret, que tem várias unidades em Londres. É uma rede de fast food que faz coisinhas saudáveis, como sopas, sucos e sanduichinhos. Eles tem várias coisas orgânicas e tem uma pegada natural bem bacana, sem ser chato. Dá pra matar uma fominha rápida lá, ou dá pra viver de Pret enquanto em Londres (que foi o que eu fiz).
Eu lembro de uma sopa de cenoura com cominho que era incrível. É bem mais gostoso e saudável do que se jogar todos os dias no McDonald’s, Burger King ou KFC.
São 17 lojas só em Central London, então com certeza você vai acabar esbarrando em uma.

4. Turiste mesmo.

Londres, assim como Paris, assim como Nova York, são lugares onde você tem que turistar e ver ou fazer o que todo mundo está fazendo.
Deu vontade de tirar foto na cabine telefônica? Tira. Deu vontade de subir no ônibus vermelho? Sobe.

- Viajante no nome, turista no coração -
– Viajante no nome, turista no coração –

Hoje em dia tem rolado uma chatice de viajante X turista. Parece que todo mundo de repente virou entendido de viagem e não quer mais ir onde todo mundo vai, ou que é menos cool você ser turista. Quanta babaquice!
Concordo que tem lugares que são pega-turistas e que você deve evitá-los, mas no final, se você está a passeio em uma cidade que não é a sua, você é um turista sim senhor.
Afinal, que graça tem ir até Londres e não visitar o Palácio de Buckingham, ou dar uma olhadela na London Eye? Que sentido tem ir em Paris pela primeira vez e não ir na Torre Eiffel?

Quando você vai pela segunda ou décima vez em um lugar, aí sim, pode escolher outros pontos menos turísticos para visitar. Mas quando você vai pela primeira vez, tem que ver os ícones. Afinal, ícone é ícone né?

Por mais aproveitar a viagem e menos chatice de entendidos.

5. Vá em pontos turísticos não pagos

- Tower Bridge fechada -
– Tower Bridge fechada –

A coisa de viajar com pouco dinheiro é que você pode aproveitar muito, sem tirar um tostão do bolso.
Vá ver os pontos turísticos que não custam nada. Vai lá ver o Big Ben, a Tower Bridge, a London Bridge, o Buckingham Palace. Sim, eu sei que em muitos desses lugares você pode entrar, mas às vezes a vista que se tem de fora é mais empolgante do que ficar enfurnado em um prédio. Pense nisso!

Dê uma boa volta em Chinatown, que é bem completa e diferente. Tem restaurantes que servem o pato laqueado de forma tradicional, e mesmo que você não entrar, dá pra ver o tal do bicho pendurado na vitrine.
Mais um passeio legal e de graça, check!

- Alguém ainda tem dúvida que os chineses vão dominar o mundo? -
– Alguém ainda tem dúvida que os chineses vão dominar o mundo? –

6. Assista a troca da guarda no Palácio de Buckingham.
Londres - Palácio de Buckingham - Magali Viajante
O palácio, além da sua importância histórica, é bem bonito. Chegando lá, eu me imaginei em uma daquelas transmissões importantes que a gente via pela TV.
Para quem gosta de arquitetura, vale a pena ver o prédio, que tem um estilo próprio, bem Londres eu diria (entendo zero do assunto).

- Horários de visitação do  Palácio de Buckingham -
– Horários de visitação do Palácio de Buckingham –

Eu sei que tem um dia certo para ver a troca oficial da guarda, e que deve ser bem legal. Mas se você passar uns minutos lá, com certeza vai ver a troca do dia-a-dia, quando acaba o turno de um guarda e entra o outro. É, no mínimo, hilário. Difícil assistir sem umas boas risadas e tentar entender os movimentos que eles fazem. Vale a visita!

7. Escolha sabiamente que pontos turísticos pagar.

As atrações de Londres são caras. Quando você viaja, tem que ter claro que vai gastar um pouquinho mais sim e que este gasto vale a pena para vivenciar o lugar. Mas às vezes, é melhor pular uma atração do que chegar com um rombo no cartão de crédito aqui. Ou ainda, é melhor pular um restaurante caro do que não viajar.

Quando eu viajo, eu mudo a minha cabeça para a moeda local. Não converto. Não vale a pena, dá tristeza. Mas em tempos de real desvalorizado, dá para entender a conversão, e quando estive em Londres e convertia rapidamente o valor da libra para os meus mirrados reais, desistia de algumas coisas na hora. E não me arrependo.

Mas também acho que não dá para não fazer nada quando você viaja. Você precisa sim, ir a atrações pagas. Mas por isso, escolha com sabedoria as que fazem mais sentido para você.

Pra mim, por exemplo, não fazia nenhum sentido ir na London Eye. Hoje, uma volta de 30 minutos na famosa roda gigante custa 19,75 libras, que na cotação oficial de hoje, dá R$ 102,69. Eu odeio roda gigante com todas as minhas forças. Acho lindo, mas tenho medo, acho sem graça e ia ficar mega desconfortável lá em cima. Então pra quê eu ia pagar 100 dilmas em um treco que não ia curtir? Só pra postar no Insta? Não. Eu preferi gastar dinheiro em outra coisa. Pense nisso 2!

- Nem me pagando eu ia nessa belezura aí -
– Nem me pagando eu ia nessa belezura aí –

8. Vá no Madame Tussauds.

- RIP -
– RIP –

Isso se você nunca tiver ido em um Museu de Cera, e gostar do treco (ou se quiser ir conhecer o original).
Esse passeio fez sentido pra mim. Eu nunca tinha visitado um museu de cera na vida e sempre ouvia falar do famoso Madame Tussauds de Londres, logo, tinha uma mega curiosidade para ver como era.

Comprando online, o ingresso sai por 19,80 libras, o mesmo preço da London Eye.

- Tive uma reunião com o Obama sobre a próxima viagem do Magali para os EUA -
– Tive uma reunião com o Obama sobre a próxima viagem do Magali para os EUA –

Eu achei o passeio divertidíssimo. As estátuas de cera são assustadoramente iguaizinhas. Eu virei criança olhando os detalhes da feição dos artistas, tirando foto com os meus artistas preferidos (JT, seu lindo) e turistei mesmo fazendo poses ridículas para as fotos. Quer saber? Me diverti à beça.

- Thiago também se divertiu -
– Thiago também se divertiu –

Vocês acreditam que eu até saí da frente e pedi desculpas para uma mulher que estava tentando tirar fotos? Só depois eu descobri que ela também era uma estátua de cera. Que mico!

- Qual é real e qual é de cera? -
– Qual é real e qual é de cera? –

9. Explore Camden Town

- Tks, Justin -
– Tks, Justin –

Quando eu estive em Londres, tinha uma amiga queridíssima que morava lá. Como nem ela nem eu tínhamos muito tempo, pedi para ela me levar em um lugar incrível, que ela adorasse. Ela me levou em Camden Town.

Lá, tem várias bugigangas e tranqueiras para comprar, mas também uma seleção incrível de novos estilistas, objetos descolados e itens de moda e decoração que você não vai encontrar em nenhum lugar. Legal também para ver gente de todos os estilos, de todas as tribos. É bem underground.
É democrático, é diferente e vai te render alguma lembrancinha que não vai pesar no bolso, e nem na mala.

10. Passeie pelos lindos parques.

Londres tem muitos parques. Todos são muito bonitos, tranquilos, perfeitos para um passeio meio sem compromisso, ou para dar aquela descansada contemplando a natureza.

Eu recomendo uma passada no St. James, que fica no caminho para Buckingham. É um parque muito bonito, com vários animais e onde você pode ver e alimentar esquilos. Eles são super amigáveis e adoram ir comer suas nozes direto da mão dos turistas. Uma fofura!

- Parque de São Thiago. Opa, St. James -
– Parque de São Thiago. Opa, St. James –

Outro parque que você não pode perder é o Regent’s Park, que tem a maior coleção de rosas de Londres. Se você estiver por lá na primavera, vai ter uma vista maravilhosa de rosas de todos os tipos e cores. Um convite à contemplação.

- Rosas no Regent´s Park -
– Rosas no Regent´s Park –

Outro passeio legal e barato, Aliás, barato não, de grátis!

11. Entre na Hamleys

- Quero todos -
– Quero todos –

A Hamleys é a loja de brinquedos mais legal do mundo. Ela tem mais de 250 anos e lá você vai encontrar todos os brinquedos que imaginar.
Por ser tão antiga, a Hamleys já virou um ícone de Londres e é muito visitada pelos turistas e também por quem mora lá.
Mesmo que você não for comprar nada, dê um volta por lá. Dá para brincar lá mesmo com uma parte dos brinquedos e você vai ficar embasbacado como uma loja de brinquedos pode criar uma experiência tão legal.

RIP, FAO Schwarz.

12. Assista um show de rua.

- Não sei se a aflição maior era de ver o cara de cueca no frio de Londres, ou fazendo malabarismos com a serra elétrica -
– Não sei se a aflição maior era de ver o cara de cueca no frio de Londres, ou fazendo malabarismos com a serra elétrica –

Londres, assim como todas as grandes cidades europeias, tem muitos artistas de rua. Mas lá tem muito artista de rua que faz apresentações bizarras. Música é muito mainstream pra eles.
Quando estive lá, eu assisti um em Covent Garden que o cara fazia malabarismo com uma serra elétrica ligada. Freak show total! (Coloco o vídeo essa semana no YouTube.
Mas apesar disso, foi bem legal e engraçado assistir o show engraçado porque ele não cortou nenhum membro, né?, e pude viver uma experiência do dia-a-dia de Londres sem pagar nada, again.
Se você estiver com tempo e ver uma aglomeração e alguém no meio, pare para assistir, você pode se surpreender com o que está sendo apresentado.

13. Pra fazer tudo isso, compre um Oyster.

- You, Tube -
– You, Tube –

Você vai andar muito, a pé, de metrô, de ônibus. E para não gastar os tubos nas andanças, compre um Oyster, o Bilhete Único de lá.
Ele é um cartão que te dá direito a usar quantos transportes por dia você quiser, a um preço único. Para pagar cada tarifa individualmente, você vai pagar quase o dobro.

É só chegar em uma estação de metrô e comprar o cartão na bilheteria. Ele tem o custo de 3 libras (R$ 15) e você pode carregar com o valor que quiser. Não é barato, mas é a forma mais barata de se locomover em Londres (tirando a sola do seu tênis, of course). Se sobrar dinheiro no seu Oyster, não se preocupe. É só ir em um Visitor Center, que eles te reembolsam, ou guardar o cartão para a próxima viagem a Londres, os créditos não expiram nunca.

Ah! Mais uma diquinha do metrô de lá para vocês não pagarem o mico que eu paguei: no mesmo trilho passam várias linhas. Então mesmo se você estiver no lugar certo, não entre no primeiro trem que passar. Confira se o trem realmente está indo para o lugar que quer ir, senão, espere o próximo. Demorou para eu entender isso!
E também lembre-se de que lá é mão inglesa, então você deve andar do lado esquerdo e não do direito. Só eu não entendia porque as pessoas no metrô olhavam feio pra mim.

E aí, viu como dá para sobreviver à libra esterlina?

Semana que vem tem Paris aqui, galera!

+ Vai viajar para vários lugares? Então veja o que considerar nesta sua super viagem +

Gosta do Magali Viajante? Então não esquece de seguir a gente em todas as mídias sociais. Tem conteúdo exclusivo para o Instagram, Twitter, YouTube e até Snapchat. Segue lá!