Figone e Nostro Gelato: nem perca seu tempo!

A função de um blog de gastronomia é, além de indicar bons lugares para comer, também alertar os leitores sobre lugares que não são tão bons assim… Essa é a parte ruim de pesquisar os restaurantes, já sei que vou comer um monte de porcaria, mas faz parte do prazer que tenho em escrever para vocês (quase) todos os dias!
Pensando nisso, começarei a classificar os lugares que eu visitar e postar aqui no blog como:
1. Largue tudo, saia correndo e vá lá agora!
2. Se der, vá!
3. Não perca seu tempo!
4. Saia correndo… para o lado oposto! Fuja!

(Acho que não preciso nem comentar os títulos né? É auto-explicativo!)

Então hoje, vou falar de dois lugares que eu conheci no último fim de semana que não valem a pena levantar a bunda da cadeira para ir conhecer (acho isso meio utilidade pública, vai que um dia você está no meio da rua, sem opções, e decide entrar em um desses lugares? Aí lembra da amiguinha aqui! Claro, tem o Foursquare, mas você não conhece o gosto estragado das pessoas que escrevem lá, néam?)

Quem mora na Vila Mariana e região sabe como é difícil encontrar um bom lugar para comer por aqui. Já falei disso em outro post, e não quero ser repetitiva, mas a área tem poucos restaurantes, e destes poucos, muitos são péssimos.
Há uns tempos atrás, uns dois meses eu acho, percebi uma nova hamburgueria na Avenida Sena Madureira – do lado de fora, já tinha cara de ser meio ruim, mas coloquei-a nos meus planos sem preconceito, pois preciso conhecer e prestigiar meu bairro.
Aí estávamos meio sem rumo e sem criatividade no domingo (ahãm, às vezes eu também não sei onde comer) e resolvemos dar uma parada lá.
O lugar chama Figone (já começou mal) e logo ao entrar, já achamos estranho que não tinha ninguém. Ninguémzinho, em um domingo, à uma da tarde. Estranho!
A decoração do lugar é bem esquisita, tudo em roxo e amarelo… acho que tentaram fazer algo moderno, mas ficou meio over saber? Com cara de fast food véio dos Estados Unidos.

Imagem
(O salão bombando)

Subimos as escadas e o garçom disse que eu podia escolher a mesa que quisesse (também, pudera, com tanta gente que tinha ali), e assim que sentei, já comecei a ficar irritada. A mesa que escolhi estava suja, cheia de migalhas, ou seja, não tinha sido limpa.
Aqui vai um pequeno adendo: comecei a minha vida profissional trabalhando como garçonete de hotéis cinco estrelas. Ali, não tinha moleza não, o serviço deveria ser impecável. Então, eu sei como funciona. Se o restaurante está cheio, lotado, uma natação só, você até releva sentar em uma mesa que não estivesse limpa; mas com um salão às moscas, sem nenhuma atividade para o garçom, só pode ser desleixo, preguiça e falta de atenção, e não dá pra tolerar né gente?

Então abri o cardápio, e quase caí pra trás com os preços… Os hambúrgueres especiais da casa custavam cerca de R$ 35. Caracas, nem no Meats, que o hambúguer é sensacional custa isso… Como diz o meu pai, o preço tava pela hora da morte! Um absurdis!
Imagem
(Dá um look nos preços)

O cardápio é super extenso e eles tem um Fit Burger, cópia total do Achapa, acreditam? Chamamos o garçom e começamos a fazer perguntas sobre o cardápio, e ele não sabia nada! Trouxe informações erradas, foi corrigido por outro garçom e não sabia nem o nome dos pratos… Lembra da preguiça que falei, então, aí eu já estava com preguiça, do lugar, dele, de mim por ter ido lá…
Imagem
(Belezura de cardápio)

Bom, por aí eu já estava meio de saco cheio de tudo, mas como já estava lá por amor ao blog, resolvi pedir os clássicos (que vocês já sabem minha opinião: se fizer os clássicos bons, blá blá blá). Pedimos uma porção de batata frita (R$ 14,50) para começar, com maionese da casa e molho barbecue, e depois, eu pedi um cheese bacon salada (R$ 22,10) e o Thi pediu um hot dog com chilli (R$ 19,50), porque eu estava com vontade de hot dog.

Ai como é triste comer uma batata frita ruim… fico chateada mesmo, acho um desrespeito quem consegue estragar um treco tão delicioso. Ela estava murcha, e fria! Nem vou comentar muito mais sobre isso – batata murcha não dá né… A maionese que acompanhava estava ok, nada demais, mas o molho barbecue me fez rir… tinha gosto de molho pronto comprado no Sam’s Club, sabe? Mas para parecer que era feito na casa, eles colocaram um pouco de cebola picada dentro… Huuum, que artesanal, sqn!
Imagem
(A triste e desmilinguida batata frita)

O meu cheese salada estava ok. Nada de especial, mas também não estava ruim! Se bem que deveria chamar cheese maionese, pela quantidade de molho que tinha dentro… Carne normal, pão normal, salada normal, tudo normal e esquecível!
Imagem
(Cheese maionese saindo!)

Ah! Nessa hora chegou um casal com o filho… e eles vieram… por um site de compras coletivas. Ai meu Deus, pensei comigo, isso não pode ser bom!

O hot dog do Thi estava oficialmente HORRÍVEL! Salsicha comum, dessas Sadia, Perdigão, Seara (não tenho nada contra, mas não quero pagar uns 20 contos por uma salsicha normal. Até aí passava, mas aí veio o prêmio do pior chilli do mundo. Primeiro de tudo, ele não tinha nenhuma pimenta, segundo de tudo: era apenas carne moída com uma lata de Pomarola em cima, terceiro de tudo: eu odiei!

Imagem
(Prêmio Delícia do Ano)

Não conseguimos terminar de comer tudo, pois a comida pesou já enquanto nós comíamos. Saímos de lá bem pesadões, quase rolando, mas não porque comemos demais, e sim, porque a comida não caiu legal! Nem a conta.

Tinha pensado antes em falar para você não levantar as suas pernas torneadas de Maria do Socorro para andar até lá, ou seja, simplesmente não perder seu tempo, mas relembrando e relendo este post, a minha conclusão é a opção número 4: Saia correndo para o lado oposto! Fuja!

O que mais gostei de lá: Da minha água sem gás geladinha. Foi a única coisa que se salvou!
O que não gostei muito: De tudo, principalmente do hot dog! Até o do Félix deve ser melhor!

Vou colocar o endereço e tudo porque vai que você é insano imbecil e quer ir lá assim mesmo…

Figone (http://www.figone.com.br/)
Rua Sena Madureira, 189 – Vila Clementino – 2729-4029
Domingos à quartas, das 12h às 2h; quintas à sábados, das 12h às 5h
Gastamos uns R$ 70, com duas águas, uma porção de batata frita, um cheese salada e um hot dog. Whaaaaaaaaaaaaaat?

Entra no site e você já irá entender a falta de cuidado. “I’m a paragraph”, hahaha!

—————————

Depois desta desastre incursão gastronômica, tínhamos um compromisso ali pelo Campo Belo, e aproveitamos para dar uma passada em uma sorveteria que o Thi tinha lido em uma matéria da Time Out (!). A indicação ruim de hoje é culpa dele (brincadeira amorzinho, tudo pelo ofício).
Quando você chega na Nostro Gelato (que eu insisto em chamar de Nuestro Gelato, no melhor espanhol que vocês já ouviram, lol), você se sente naquelas sorveterias antigas, típicas de cidade do interior sabe? Que eu particularmente só sinto falta das pessoas e do ritmo mais relaxado, porque o sorvete normalmente é bem ruim…
Então, lá é a sorveteria do interior do sorvete não lá grandes coisas mesmo!

Imagem
(O interior, em pleno Campo Belo)

Eles tem sorvete de massa, por quilo (R$ 78, o kg), com uns trocentos sabores. Nós pegamos três: abóbora com coco, floresta negra, tapioca. O de tapioca era ok, o de floresta negra era muito ruim, e o de abóbora com coco foi um alento, merece até uma menção honrosa…Tava gostoso! Parecia um doce de abóbora transformado em sorvete, goxtei!
Mas sabe aquela coisa bem doce com mais açúcar em cima? São os sorvetes de lá, doce mesmo, de beber uma garrafinha inteira de água…
Imagem
(Foto ruimzona do sorvete de massa)

Um dos diferenciais deste lugar é ter também, picolés (R$ 5,90), que você pode colocar calda de chocolate por cima… Quando chegamos e vimos as cores, já ficamos assustados, de tão colorido que era… (Devem ser sócios de uma fábrica de corantes). Mesmo assim, decidimos experimentar o de pistache com calda de chocolate meio amargo.
Imagem
(Tantas cores que fiquei até tonta…reparem nos cantos direito e esquerdo da foto)

A calda era daquelas que fica crocante e forma casquinha quando esfria, que eu gosto, mas essa tava muito ruim! O chocolate era hidrogenado, ui!
O picolé também não estava bom e o pistache passou longe! Eu lembro de comer um sorvete de pistache bem verde na infância, acho que era da Kibon, então, o gosto era esse!

Imagem
(O picolé zoadinho)

Resumindo, não vale a pena sair de casa para ir até lá, então Nem perca seu tempo!
Mas se tiver na região, não precisa fugir, pode até dar uma passada para provar o de abóbora, que salvou o lugar.

O que mais gostei de lá: sorvete de abóbora com coco.
O que não gostei muito: Cobertura de chocolate hidrogenada… O Thi disse que se sentiu como se estivesse comendo um guardachuvinha de chocolate, hahahaha!

Nostro Gelato (http://www.nostrogelato.com.br/)
Rua Antônio de Macedo Soares, 1138 – Campo Belo – 5041-3022
Todos os dias, das 11h às 19h
Gastamos uns R$ 12. Achei caro!

E você, em que restaurantes prefere não perder seu tempo?