Empório Sagarana: Templo da Cachaça na Vila Madalena

Eu tenho uma questão com os clássicos da cidade. Não sei o porquê, mas eu sempre demoro para conhecer alguns ícones que todo mundo diz que é um must-go. Provavelmente deve ter alguma explicação que eu vou descobrir em terapia, mas a verdade é que eu demoro séculos para ir em alguns restaurantes que meus amigos não blogueiros já foram um milhão de vezes.

Foi assim com o Empório Sagarana. Já tinham me falado, eu já tinha lido sobre o lugar e já tinha até participado de uma degustação de cachaças e cervejas com o proprietário, Paulo Leite, em outro lugar, mas nunca tinha efetivamente ido conhecer a casa.
Um dos motivos talvez seja a localização na Vila Madalena, bairro que tenho horror em horários de pico devido ao número de pessoas por metro quadrado.

empório sagarana
Importante lição de vida no Empório Sagarana

 

Até que eu recebi alguns amigos muito queridos que moram fora do Brasil e que compartilham do mesmo gosto de cachaça que eu (pensando bem, talvez essa seja uma pista, já que eu só fui no Mocotó da Vila Medeiros para levar uma amiga de fora…) e decidi sugerir uma visita ao lugar.

+ Mocotó: os gringos piram +

Antes de tudo, tenha certeza de qual Sagarana você quer ir. Além do original, que fica na Vila Romana, tem dois na Vila Madalena, um de frente para o outro: o Empório Sagarana, focado em cachaças e o Aé Sagarana, com cervejas artesanais.

Fiz a reserva para o Empório, mas o Thiago chegou antes e sentou no Aé, que parece bem bacana e que já me contaram que tem um burger sensacional.
Desfeita a confusão inicial, fomos para o Empório, onde tínhamos reservado uma mesa.

aé sagarana
Parte da decoração do Aé Sagarana

 

O bar é pequeno e tem uma decoração simpática, simples, de madeira, com cara de bar nordestino antigo.
As mesas na calçada são disputadas e mesmo que esteja frio, não se preocupe, pois todas as mesas contam com uma confortável manta para os clientes se esquentarem.

Grande parte da graça do ambiente são as centenas de garrafas de cachaça expostas, todas à venda. Dá pra se divertir muito com o nome delas, uma mais espirituosa que a outra.

Em uma grande lousa na parede, figuram as opções de cerveja artesanal do dia. Eu adoro cerveja e apesar de saber que o preço das artesanais não é tão convidativo assim, achei as opções do Sagarana muito caras (entre R$ 17 uma Tupiniquim Pilsen 310 ml e R$ 48 uma Coruja Viva de 1 litro).

Fiquei nas cachaças mesmo e sugiro que você faça o mesmo quando for lá. As opções são tantas, com preços e características tão diferentes, que você vai querer provar uma de cada. Mas não tente, já que não é muito aconselhável fazer isso com uma bebida de teor alcoólico tão alto.

Eu gosto de cachaça, mas conheço muito pouco das marcas e características de cada tipo. Sei que geralmente, as minhas preferidas são as branquinhas, mas gosto de provar todas.
Por isso, foi bastante importante o atendimento que recebemos lá. Os dois atendentes do dia (com destaque para a menina) sabiam muito sobre o tema e explicavam tranquilamente todas as cachaças da carta. Arrasaram muito e considerando o pequeno conhecimento do brasileiro sobre a bebida, é extremamente útil essa orientação.

Estávamos em quatro e começamos com 3 cachaças: a Século XVIII (R$ 14), de Coronel Xavier Chaves, em Minas; a Patrimônio (R$ 7), de Pirassununga, SP; e a Engenho Santo Mario (R$ 9), de Catanduva, também em SP.

cachaça patrimonio
As primeiras cachaças da noite

 

Eu não lembro exatamente qual das três gostamos mais, mas sei que as três eram muito boas, apesar de diferentes. A Século XVIII é uma cachaça que não passa por madeira, a Patrimônio envelhece 3 meses em bálsamo e a Santo Mário, é armazenada em tonéis de amendoim.
São todas cachaças simples, boas para começar a noite.

Para comer, uma coisa muito interessante do Sagarana é que você pode pedir a comida do Aé no Empório e vice-versa. Você vai na casa que tem a comida que quiser, paga e quando estiver pronto, eles levam até a sua mesa.

aé sagarana cardapio
Cardápio de petiscos do Aé Sagarana

 

O cardápio de comida do Empório Sagarana é bem reduzido, com poucas opções de petiscos, tábuas e comes.
De lá, pedimos os Espetinhos de Queijo Canastra com Tomatinhos e Pimenta Biquinho (R$ 29).
A porção era bem grande e dava tranquilamente para quatro pessoas. Estava uma delícia. O Canastra era saboroso, macio e de boa qualidade e o sabor salgado do queijo contrastava perfeitamente com o adocicado dos tomatinhos e a acidez da pimenta biquinho. Uma excelente pedida para petiscar enquanto conversa e toma cachaça!

O cardápio do Empório Sagarana é reduzido, com poucas opções de petiscos
O cardápio do Empório Sagarana é reduzido, com poucas opções de petiscos

 

Fomos então para a segunda rodada de cachaças, dessa vez com quatro rótulos. As escolhidas foram a Rainha, de Bananeiras, na Paraíba; Água da Bica, de Brumadinho, em Minas e a Farrista (R$ 9), também de Minas, da cidade de Martinho Campos.

cachaça rainha
Rainha e Água da Bica: ótimas cachaças

 

Essa última tinha como diferencial ser um aguardente de melado e não da cana, como todas as outras. Foi a minha preferida da noite e tinha um aroma adocicado e uma textura aveludada deliciosa.

cachaça farrista
Cachaça Farrista: a minha preferida da noite!

 

Com algumas doses de cachaça na conta, era hora de encher a barriga de um pouco mais de comida.

Olhamos o cardápio do Aé Sagarana, mais completo, com sanduíches e outros comes e pedimos duas porções vegetarianas: Dadinhos de Tapioca (R$ 19) e Porção de Batatas Rústicas, Batata Doce e Chips de Jiló (R$ 25).

empório sagarana vila madalena
A foto está ruim, mas a comida estava boa

 

O Thiago atravessou a rua para fazer o pedido e mesmo com a casa meio vazia, a comida demorou quase uma hora para chegar em nossa mesa.

Os Dadinhos de Tapioca estavam gostosos, com apenas uma capinha fina de tapioca e recheio de queijo, mas sentimos falta de algum molho, geleia ou qualquer coisa para molhar os dadinhos. Sem nenhum acompanhamento eles ficaram bem sem graça.

Já as batatas estavam ótimas. Crocantes por fora e macias por dentro e gostamos tanto do chips de jiló que esperávamos que viesse em maior quantidade. Entendemos que a maioria das pessoas não deve gostar do amargor do legume, mas em uma porção bem grande de batatas, vieram apenas uns cinco chips…

A comida cumpriu a função essencial de alimentar prazerosamente, mas não foi o ponto alto da noite. Se tivesse que escolher o melhor, definitivamente foram os espetinhos de Canastra, mas ainda quero voltar para provar o burger.

Se a comida não foi assim tão emocionante, a carta de cachaças certamente cumpriu bem a função. A cada cachaça nova que provávamos, descobríamos um novo aroma, novo sabor, e a vontade era de ficar provando cachaça a noite toda.

Infelizmente o dia seguinte ainda era um dia útil e precisávamos decidir a saideira.

Pra finalizar a noite com estilo, pedimos a Severina do Popote (R$ 10), Encantos da Marquesa (R$ 9), Soberana de Minas e Alívio das Dores (R$ 7), todas de Minas.

cachaça severina do popote
As saideiras…

 

Todas cachaças ótimas, mas a minha preferida foi a Alívio das Dores, que deixou todas as dores, tristezas e preocupações para trás.

Os meninos não ficaram satisfeitos com o final, foram guerreiros e pediram mais duas doses, pra fechar o bar: Reserva do Nosco, do Rio de Janeiro e Ferreira Januária (R$ 7), de Minas.
Essa última fechou a noite com chave de ouro!

cachaça ferreira januaria
E mais algumas saideiras…

 

Mas atenção: este post não tem a intenção de te dizer qual a melhor cachaça do Sagarana. A graça é você ir lá, provar várias e decidir qual a sua preferida!

+ Tuju: outro lugar interessante na Vila Madalena +

Compramos ainda uma garrafa para levar pra casa, com preço bem interessante e nos despedimos das cachaças do Empório Sagarana.

Ah! Tem cachaça de todo preço, mas por R$ 7 a dose você já começa a beber.

Continuo sem saber o porquê eu demorei tanto tempo para conhecer o bar, mas hoje sei que foi tempo perdido, pois não conheço outro lugar tão bacana para tomar cachaça em SP.

Empório Sagarana (http://emporiosagarana.com.br/)
Rua Aspicuelta, 271, Vila Madalena, SP – (11) 3031-0816 – Metrô mais próximo: Vila Madalena ou Sumaré (1,5 km)
Domingo e segunda das 14h às 22h e terça a sábado das 14h à 1h.
Gastamos cerca de R$ 250 em quatro pessoas. Achamos justo!

Qual seu lugar preferido para tomar cachaça em SP? Deixe suas dicas na caixa de comentários abaixo.

Gosta do Magali Viajante? Então não esquece de seguir a gente em todas as mídias sociais. Tem conteúdo exclusivo para o Facebook, Instagram,Twitter,YouTube e até Snapchat. Segue lá!

Submit a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *