Conceição Discos: um lugar para chamar de seu (e passar horas do seu sábado por lá!)


Uma orquestra magnífica que conheci por lá… E está à venda!

Sinto falta de lugares em São Paulo em que me sinto verdadeiramente em casa… Sabe aquele lugar que você chega e vai ficando, se aconchegando, que quase se torna parte de você e você dele? Infelizmente, são poucos os lugares em que me sinto verdadeiramente assim, dificilmente posso contar nos dedos de uma mão. (Ainda mais perto do trabalho, em que tudo acaba se tornando totalmente comercial e sem conforto carinhoso algum para o cliente…)

O Conceição Discos é assim: chegue e se apaixone! Chegue e fique! Chegue e faça novos amigos! Chegue e agrade o seu estômago! Leve um livro, um caderno de anotações, seus pensamentos… aqui sim, é um lugar que te permite pensar!

O C de Censasional... hahaha, lógico que não, né? Eu sou uma blogueira que sabe escrever!
O C de Censasional… hahaha, lógico que não, né? Eu sou uma blogueira que sabe escrever!

A querida amiga de muitos anos e chef talentosíssima, Talitha Barros, cansou do mundo dos grandes restaurantes (e dos boletos milionários da Ecolab, hahahah!) e resolveu abrir uma coisa, digamos assim, a cara dela.
O Conceição Discos fica na Santa Cecília, e tente chegar antes de abrir, só para ver a linda arte feita na porta de ferro (mas que infelizmente só dá para ver quando está fechada, talvez para aguçar a imaginação dos que passam em volta).

Chegue cedo, e veja essa lindeza!
Chegue cedo, e veja essa lindeza!

Uma vez com a porta aberta, e que pode atrasar um pouquinho, visto que Talitha é artista, e como tal, não é linear nem segue padrões rígidos de atendimento (e é exatamente por isso que este lugar é uma delícia); entre e se deixe encantar com o espaço: discos raros, uma vitrola que toca Ronnie Von, uma cadeira de balanço de dar saudades da avó, e uma almofada de caveira que dá vontade de levar para casa (por favor, pessoas, NÃO! Se controlem!)

Os incríveis discos!
Os incríveis discos!
A tal da almofada!
A tal da almofada!

Se estiver à fim de bater papo (altamente recomendável), sente-se no balcão, converse com a Talitha e com o excelente Thiago, responsável pela excelente execução das receitas do lugar; e torça para que a Talitha dê uma risada alta, e para que alguns de seus amigos apareçam… afinal, você está na sala da casa, na cozinha dela!

Sempre bom fazer novos e queridos amigos!
Sempre bom fazer novos e queridos amigos!

Se estiver introspectivo, sente em uma mesa, sinta a música, peça uma xícara de café coado, leia um livro. Tenha o seu momento!

Quando conseguir decidir o que quer comer (são poucas opções, mas todas de dar água na boca), esteja pronto para comer bem, e sair realmente satisfeito. E quando eu digo satisfeito, I mean it, satisfeito nível Largue tudo, saia correndo e vá lá agoraaaa!

 

Prove tudo! Mesmo!
Prove tudo! Mesmo!


Começamos com um pão de queijo tradicional, um dos melhores da cidade, com gosto de queijo e textura ótima, imperdível; e um queijo quente com banana, maravilhoso!
E os benditos queijos quentes merecem um capítulo à parte: eu nunca fui grande fã de queijos quentes…sempre fui a pessoa do misto quente! Mas aqui o queijo quente é coisa séria: pão grossinho e delicioso, queijo bom pacas, e as misturas que a Tali propõe também são ótimas: você pode pedir com banana, com bacon, com cebola ou com alho…

O dito cujo!
O dito cujo!

Tudo isso regado com café de coador, passado na hora…

Olha que charme as louças deste lugar!
Olha que charme as louças deste lugar!

A fome continuou e pedimos uma torta de camarão – sabe aquelas tortas gostosas que você comia na infância na casa da tia – essa mesma! Massa boa, recheio farto, só achei um tiquinho salgada.

Torta de camarão da infância...
Torta de camarão da infância…

Depois, ainda não satisfeitos, mas loucos por um docinho, pedimos o bolo do dia, que era de pão de mel, e um pudim de leite.
O bolo, que dava até dor de cabeça só de olhar e pensar o quanto era doce, surpreendeu pois tinha a doçura bem equilibrada. Estava um pouquinho seco, mas igualmente delicioso.

Bolo do dia
Bolo do dia

Depois veio o pudim, ai, o pudim… Sem dúvida, um dos melhores que já comi em São Paulo só não perde do da mamãe. Uma delícia, e não aquelas porcarias cheias de maizena que servem por aí… Vale cada caloria depositada na sua linda barriguinha!

Hummmm...
Hummmm…

Faltou provar o pão de queijo recheado de pernil, a torta de palmito, o brownie, a paçoquinha… mas com certeza não faltarão visitas para um dos meus novos lugares preferidos.

Em tempo: o Conceição também tem uma carta de cervejas super especial, e a Tali prepara um prato de almoço diferente todos os dias… só de pensar no arroz de coração de galinha (que só vi em foto), meu coração dispara. Guarda um pouco para mim, Talits!

Enfim, conversei, falei um monte de bobagem, ri muito, comi bem, fiz um bem enorme à alma, só não pude ficar mais porque tinha que trabalhar… mas fui trabalhar assim, feliz, com a leveza de quem acaba de descobrir um verdadeiro tesouro!

Feeelizzzz!
Feeelizzzz!

Todo o sucesso para a a minha amiga Talitha, que nos tempos áureos de faculdade, fazia spaghetti de crosshatch (bons tempos!)… Vai lá sim, mas conta baixinho na sua roda de amigos, é um daqueles lugares, que apesar de desejarmos todo o sucesso do mundo, queremos profundamente que continue um pouco segredo, um pouco misterioso, intocado, sem grandes holofotes, como a sala de nossa casa!

Conceição Discos (https://www.facebook.com/conceicaodiscos)
Rua Imaculada Conceição, 151 – Santa Cecília
Terça à sábado, das 11h às 20h.
Gastamos R$ 44,00, com um queijo quente, um pão de queijo, uma torta, um pudim, um bolo e dois cafés. Excelente negócio!!!

Magali Viajante

4 comments

Submit a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *