Butantan Food Park: tá legal demais!

Depois de ter vivido uma grande decepção de dar com a cara na porta (fechada!) do Butantan Food Park, a Magali, que é brasileira e não desiste nunca, tomou coragem para enfrentar o trânsito da nossa cada dia mais adorável São Paulo (!) e ir, de uma vez por todas conhecer este novo espaço da cidade.

Hoje, especificamente, era um dia muito especial para conhecer o Food Park. Lá estava rolando a SP Burger Fest, com todas as barraquinhas dedicadas à um só tema: o hambúrguer.

Enfrentei trânsito, pensei em desistir, não achei vaga na rua, dei de cara com uns travecos assanhados nas ruas próximas ao park, paguei caro no estacionamento, mas fui! E que coisa linda estava…

Imagem
 Parece cena de um programa de comida gringo –

Para começar, o espaço é demais! Um grande espaço aberto, que antes era um estacionamento, se transformou em um dos espaços mais legais e democráticos de comida em SP. Super bem pensado, com lampadinhas fofas em toda a extensão (que dão aquele clima vintage e onírico que eu adoro… Mesas comunitárias de madeira, com lugar para todo mundo (e se apertar, ainda cabe mais um!), e um painel de grafite que me fez lembrar de Miami #wynwoodfeelings.
Imagem
– Street art, I love you! –

Só de chegar em um espaço desse, você já relaxa, tira toda a tensão que a nossa linda cidade faz questão de depositar em nossos ombros diariamente e decide que é momento de curtir, compartilhar: a comida, a mesa, o mood, a vida!
Música boa (enquanto eu estava lá, tocou Strokes, Foo Fighters, Nirvana…), pessoal bonito, descolado e em um clima bom, comida de qualidade e acessível… Do que mais eu preciso? Dava para ficar lá à noite toda, batendo papo, bebericando e provando comidinhas boas!

Imagem
– Truck de suco natural –

Fomos com o nosso casal de amigos ‘pau pra toda obra’: Rubia e Gansinho. Esses dois topam tudo mesmo!

Imagem
– Olha nossa cara de feliz – e esfomeados –

Chegamos lá na missão de provar o maior número de sanduíches possível. E como este é um blog sério, e de respeito, atingimos um novo recorde: 8 burgers, uma porção de batata, 2 lemonades, 1 suco natural e 2 milkshakes (só não teve waffles porque a barraquinha fechou!), e saímos de lá rolando…
Imagem
– Porque o Magali é um blog de responsa! –

Hoje, com o SP Burger Fest rolando, todas as barraquinhas estavam servindo apenas burgers, mas não é sempre assim não. O espaço promete ter uma variedade bacana de pratos.
Eram 15 barracas, cada uma com uma receita diferente de burger. Dentre todas elas, nós provamos os das seguintes barracas:
– Bee.W Hostel e Bar: Gangster Burger –  hambúrguer de picanha de 200 gramas, bacon, rúcula, creme de gorgonzola especial e onion rings
Imagem
– Gangster Burger –

– Bos BBQ: Kobe Beef, bacon, queijo
– Donostia: San Seburger – hambúrguer de fraldinha temperado com páprica e coberto com queijo manchego e crispy de jamón, na ciabatta

Imagem
– San Seburger – 

– Holy Burger: Burger com queijo brie e geleia de frutas vermelhas

Imagem
– Holy Burger –

– Marcelino Pan y Vino: burger de camarão, com azeite de dendê e leite de coco
– Obá: hambúrguer de patinho e fraldinha com cebola, bacon e queijo; salada de repolho crocante, tomate, coentro e limão; temperado com mayocrema de chipotle
– Twelve Bistrô: hambúrguer de fraldinha, queijo coalho, cebola roxa e bacon

Imagem
– Twelve Bistrô – 

– Zena Caffé: hambúrguer de carne, pernil de porco desfiado, maionese de alho e molho de pimenta Jack’n’Cola

Todos os burgers tinham o preço fixo de R$ 20.

Imagem
– Segunda rodada –

Fizemos duas rodadas, com quatro sandubas em cada. No final, cada um deu a sua nota, elegeu o melhor e o pior, e definiu algumas categorias especiais, a seguir:

– O pior hambúrguer da noite: Bos BBQ, com o seu suposto burger de Kobe Beef. Já tínhamos ido uma vez no Bos, e não nos surpreendemos. Hoje, demos uma segunda chance, e as nossas primeiras impressões só se confirmaram. A própria menina que estava na barraca disse para um cara que o lanche não tinha bacon, só tinha um pouquinho na maionese, e que se tirasse a maionese, o lanche perdia a graça e virava um cheeseburguer. Pois é, ele não passava disso, um burguer sem graça e sem gosto… Reprovado!

Imagem
– A foto tá ruim, mas o burger tá pior ainda! –

– O burger mais inovador: Marcelino Pan y Vino, com seu burger de camarão. Leve, a impressão ao morder esse lanche é que ora você estava mordendo uma moqueca em formato de hamburguer, ora você lembrava de um acarajé. Não agradou 100% aos homens, mas que era o mais diferentão e inovador de lá, isso era! Eu gostei!

– O burger mais ogro: Na verdade verdadeira, não tinha nenhum burger muito ogro por lá… Todos tinham um tamanho meio padrão, mas escolhemos o do Zena Caffé como o mais ogro, pelo simples fato de misturar burger, carne de porco desfiada e molho de Coca Cola. Delicioso!

– O melhor burger da noite: E o troféu vai para… … … … … Obá, com seu Mexicano – maionese de chipotle tava demais, e o crocante do repolho fazia toda a diferença! Foi quase que uma unanimidade entre o grupo!
Imagem
– O campeão –

Provamos também as patatas bravas do Brado (molho gostoso, mas estavam frias e meio murchinhas já, dispensável!), e o milkshake da Kibon, que era gostosinho, simples, nada demais.

Imagem
– “Tá com gosto de velha… Velha de pouco tempo atrás”- palavras da sábia Rubia Maciel

Para completar a alegria, todas as barracas aceitam cartão de crédito e débito, e o espaço conta com um banheiro meio químico, meio de avião, bem decente! Ganhou meu coração! Além disso, a Hellman`s, uma das patrocinadoras, distribui ketchups como gift na saída, para todos!

Imagem
– Olha o banheiro! Ah! Tem que ter né pessoal!

O food park continua funcionando normalmente na próxima semana, mas quarta que vem, dia 28/05, volta a receber o SP Burger Fest, com as mesmas barraquinhas de burgers. Sucesso garantido! Você não pode perder, mesmo! Saia correndo, largue tudo e vá para lá agora!

O que mais gostei: Do clima, da iniciativa e da organização. Arrasaram!
O que não gostei muito: Do preço do estacionamento mais próximo – R$ 28 por três horinhas é pra acabar com o amô!
Dica que vale ouro: Ainda não conferi, mas deve ser demais fazer uma Happy Hour no espaço, no final da tarde, lá pelas 17h. Ficar bebendo, conversando e comendo, com o espaço ainda meio vazio, enquanto as pessoas se matam no trânsito da Marginal, ali do ladinho…

Butantan Food Park (https://www.facebook.com/ButantanFoodPark)
Rua Agostinho Cantu, 47 – Butantã
Segunda à quarta, das 11h às 16h; quinta à sábado, das 11h às 22h; domingo, das 11h às 20h.
Gastamos uns R$ 60 reais por pessoa e saímos rolando. A proposta do lugar é ter preços acessíveis.

Quarta que vem tem mais. Vamos?

10 comments

Submit a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *