Bar do Seu Zé: as empanadas super estimadas do Itaim

Tem uns dias que a gente não está com vontade de almoçar comida. Dá vontade de um lanchinho gostoso, de uma besteirinha delícia que não vai alimentar, e que sabemos que dará fome no meio da tarde, mas mesmo assim, às vezes simplesmente dá vontade de sair da dieta e de fugir do quilo.

Nestes dias, pra quem trabalha no Itaim, sempre tem a La Guapa, que tem empanadas deliciosas e feitas na hora. Mas quem me conhece sabe que eu sempre gosto de experimentar lugares novos. E aí um dia desses passei em frente de um bar de empanadas, pertinho do escritório, e já estava planejando passar por lá um dia desses. Estou falando do Bar do Seu Zé.

Bar do Seu Zé - Magali Viajante

Parece que esta é uma filial do famoso bar da Vila Madalena, e que serve tradicionais empanadas chilenas. Fui lá em uma sexta feira fria, super a fim de comer uma empanada quentinha e delicinha. Mas já adianto: não gostei! (E já sei que posso ser uma das únicas, já que li um montão de comments legais deste lugar no Trip Advisor e Foursquare).

Bar do Seu Zé - estufa - Magali Viajante

O lugar é super simples, um bar mesmo, com uma estufa no balcão para as empanadas e umas bebidas na prateleira da parede.

Bar do Seu Zé - ambiente - Magali Viajante

Cheguei lá, me acomodei em uma mesinha alta, dei uma olhada no cardápio, e logo pedi uma Chilota (de carne picada, ovo, azeitona e passas) e uma de Frutos do Mar.

Bar do Seu Zé - cardápio - Magali Viajante

 

O garçom prontamente me respondeu:

– “Não tem nenhuma das duas”
– “Mas nenhuma das duas? Me dá uma de carne tradicional, então”
– “Também não tem essa não. Só vai sair daqui uns 20 minutos”
– “Do que você tem, afinal?”
– “Tenho de palmito, carne seca com mandioca, rúcula com três queijos e calabresa”
– “Então me traz uma de carne seca e uma de rúcula, mas traz uma de cada vez, para não esfriar…”

Bar do Seu Zé - empanada - Magali Viajante
Dá para perceber na foto que a massa está seca?

E aí ele trouxe a de carne seca com mandioca. Quando cheguei, já vi que a massa estava um pouco ressecada, de tanto tempo que ficou na estufa. Foi até meio difícil e desagradável comer as pontinhas da empanada, que ficaram com um gosto bem parecido de bolacha cream cracker. Deixei a massa de lado e parti para o recheio, que aí sim, estava uma delícia. Uns pedações de mandioca cozida com carne seca, dentro da massa, que poderia ser mais úmida e mais docinha, como a do La Guapa, uma das melhores de SP.

Bar do Seu Zé - empanada de carne seca - Magali Viajante

Terminei a primeira empanada, pensando que seria melhor ter deixado a massa toda de lado e comido só o recheio, torcendo para que a próxima estivesse menos seca.

O Bar estava vazio, mas o garçom demorou para perceber que eu já tinha terminado a de carne seca e trazer a de rúcula, e eu tive que pedir umas duas vezes para ele trazer a empanada, que estava tristinha, ressecada naquela estufa de padoca de bairro.

Estufa deveria ser proibido!
Estufa deveria ser proibido!

Quando ele trouxe, e dei a primeira mordida, além de sentir que não, a massa não estava mais úmida que a outra… e que a questão da massa seca era um problema crônico, percebi que o recheio também estava errado. Não era de rúcula, mas de escarola. Achei melhor comer logo e não reclamar, tenho certeza que não teria mais sorte com a outra. Novamente, o recheio também estava ótimo, bem temperado. Mas em uma empanada, ou qualquer outro salgado, a massa responde por 50% e o recheio pelos outros 50. Como amar uma empanada que é só metade gostosa?

Bar do Seu Zé - empanada de escarola - Magali Viajante

Como sempre quando testo um lugar para colocar no blog, tento fazer a experiência, com sobremesa e tudo. Então pedi para o garçom esquecidinho e desatento uma empanada de Romeu e Julieta. Aí ele me informou que essa era a única feita na hora, e que demoraria 15 minutos para ficar pronta. Fiquei meio decepcionada que ele não me informou no começo do almoço, ou que não estava escrito no cardápio. Afinal, em horário de almoço de escritórios, quem dispõe de mais 15 minutos para esperar a sobremesa? Eu que faço parte da criadagem, não tenho.

O que mais gostei de lá: Do molho de pimenta caseiro que colocam na mesa. Tem alho, azeitona, cebola, tem de tudo lá dentro. E é uma delícia…
O que não gostei muito: Da massa de cream cracker… mais seca que o clima de São Paulo hoje!
Na hora de pagar a conta, com uma pessoa apenas na fila, a moça do caixa sumiu e o tal do garçom não sabia cobrar. Lá se foram mais 10 minutos perdidos do meu almoço.

O molho de pimenta - a melhor coisa da casa.
O molho de pimenta – a melhor coisa da casa.

Se volto? Não, obrigada! Quando quiser empanadas, prove as do La Guapa, da Empanadas Caminito, ou se arrisque até o Pari, para provar as saltenhas do Los Caporales, esse sim, coisa boa de verdade!

Bar do Seu Zé (https://www.facebook.com/pages/Bar-do-Seu-Z%C3%A9-Itaim/279785562227563)
Rua Manuel Guedes, 281 – Itaim – 2893-1009
Segunda à sábado, das 10h às 23h
Cada empanada custa R$ 6,75. Gastei uns R$ 18, com duas empanadas e uma Coca Zero. E fiquei com fome à tarde!!!

 

2 comments

Submit a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *