15 Coisas que Você TEM Que Comer em Maceió

Maceió é uma cidade de muitos encantos: tem o sol e o clima de verão presentes o ano inteiro; tem as lindas praias de areia branca e água quente, comparadas muitas vezes com as do Caribe; tem o povo alagoano, de uma simpatia e hospitalidade incríveis; tem o artesanato local, reconhecido e admirado mundialmente; e tem a comida, que é pra deixar qualquer um apaixonado!

+ 5 passeios para fazer em Maceió +

Eu tenho a sorte de ter família alagoana e desde que nasci, sempre tive a oportunidade de viajar para o estado para passar tempo com a família, aproveitar as praias e comer a comida sensacional que faz parte da cultura alagoana.

O alagoano (e o nordestino em geral) tem uma relação muito próxima com a comida. Mesmo com novas tecnologias e formas de preparar alimentos, jeitos mais práticos de comer e a globalização da alimentação, ele ainda prefere se alimentar de forma muito parecida com a de seus pais e avós.
Farinha comprada na casa de farinha, mariscos direto da lagoa, café da manhã com carne e inhame… Esses são costumes que o alagoano gosta de manter e que nós, turistas, quando vamos até lá, ficamos maravilhados e empanzinados de tanto comer.

Depois da minha infância, as viagens para Maceió começaram a ficar cada vez mais raras. Se quando criança eu ia para a cidade todos os anos, depois de adulta a frequência passou a ser de uma vez a cada três ou quatro anos (coisa que pretendo mudar).

Mas viajando muito ou pouco para lá, uma coisa que sempre está nos meus planos de viagem para Maceió é a comida. Baseio meus passeios e minha agenda ao redor do que quero comer. E sim, mesmo com a cultura gastronômica globalizada, tem coisa que você simplesmente não encontra por aqui.

Por isso, resolvi no post de hoje, indicar quais são as 15 coisas que você tem que comer quando for a Maceió.
Nada de restaurante chique, nem de comida gourmetizada. São os clássicos simples e deliciosos, mas que farão a sua visita à cidade ficar ainda mais gostosa.

1. Café da manhã

carne de sol
O meu pratinho de carne de sol, cuscuz e macaxeira no café da manhã do Jatiúca Resort

O café da manhã é, certamente, a refeição mais importante para o nordestino.
E além da mais importante, é uma das mais deliciosas.
Esqueça todas as suas referências de café da manhã moderno. Deixe pra lá o pão, a manteiga, as frutas, o cereal e o café com leite. A coisa aqui é bem mais parruda.

O café da manhã do alagoano tem macaxeira, inhame ou batata doce. Cuscuz, tapioca, charque, ovo, queijo coalho, leite quente, café. A palavra de ordem é sustança.

Você pode achar estranho bater um pratão de macaxeira com carne logo que acordar, mas a verdade é que este tipo de refeição preparava a pessoa antigamente para um trabalho mais pesado, no campo. Mas mesmo hoje em dia, com a nossa rotina corrida, em que não conseguimos comer, é uma boa. O inhame e o cuscuz deixam você bem satisfeito até a hora do almoço.

E o melhor de tudo é que é uma delícia. A estranheza inicial passa assim que você prova o queijinho, o cuscuz, ou tudo junto.

A forma mais fácil de provar um café da manhã típico é estando hospedado na casa de uma família alagoana, mas como isso nem sempre é possível, dá pra tomar um senhor café da manhã também hospedando-se no Jatiúca Resort, nosso parceiro de hospedagem em Maceió.
Eles tem um café bem completo, com pão, frios e frutas pra quem é disso e carne de sol, cuscuz, tapioca, bolo de macaxeira, pra quem sabe o que é bom.
No primeiro dia em que estive hospedada no hotel, a carne de sol desfiada estava tão boa, mas tão boa, que comi uns três pratos cheios só disso.

+ Veja como é se hospedar no Jatiúca Resort +

P.S: Para os amigos mais próximos, vou apresentar a minha família. Mesmo aqui em SP, a minha mãe faz um café da manhã nordestino de domingo que é de chorar de bom!

2. Peixada

peixada com camarão
Peixada do Bar do Delegado, na Massagueira


Eis o prato mais encontrado nos restaurantes de Maceió: a peixada.
Já que você saiu de um café da manhã levinho, com pouca coisa, a minha dica é que você se jogue no peixe no almoço.
A maioria dos lugares em Maceió faz uma peixada pra duas pessoas (que dá pra quatro), com pirão e arroz. A minha preferida é a que leva peixe e camarão.
Tem alguns lugares que eu indico para você comer peixada na cidade:
Na Jatiúca, você pode provar a do Peixarão, que é saborosa, mas que em minha visita, tinha o peixe um pouco seco.
Melhor pedida é a do Bar do Delegado, na Massagueira, em porção fartíssima e deliciosa, com batata e ovo.
Outra opção é na Barra Nova, no Bar do Pedrosa. Simples de tudo, o restaurante tem uma comida caseira excelente, e a peixada vai te deixar bem feliz.

3. Caldinho de sururu

caldinho de sururu
Caldinho de sururu do Peixarão

Se você nunca provou sururu, volte três casas no Jogo da Vida. Você está bem atrasado.
O sururu é um molusco que vive no mangue, muito encontrado na beira das lagoas da cidade.
Depois de pescado e limpo, um dos preparos mais clássicos para este fruto do mar é o Caldinho de Sururu, um caldinho feito com leite de coco, tomate e cebola que levanta até defunto!

Entrada da maioria dos restaurantes de praia de Maceió, o Caldinho de Sururu é item obrigatório quando você estiver na cidade. É delicioso e eu duvido que você tome só um.

Além dos restaurantes, eu também encontrei Caldinho de Sururu sendo vendido em um carrinho na Praia do Francês. Estava bom, mas os meus preferidos são os da Massagueira e o do Bar do Pedrosa.

Pra quem gosta de aventuras e de ver como os alimentos são produzidos, o melhor lugar para comprar sururu em Maceió é na beira da Lagoa Mundaú.
Lá, as famílias catam o sururu, tiram a lama, limpam bem e vendem na beira da estrada o sururu mais fresco que você poderá encontrar. Dá até pra trazer pra SP!

Por terras paulistas, dá pra encontrar o sururu congelado no Mercadão, vindo diretamente de Alagoas. Com certeza não é tão fresco, mas é melhor que nada.

Caldinho de sururu, uma cervejinha, rede e a brisa do mar. Eita, vida difícil!

4. Picolé de Tapioca da Fika Frio

picolé de tapioca
O melhor picolé de tapioca do mundo é o da Fika Frio

Depois deste desbunde gastronômico, certamente você precisará de um docinho.
Vai na minha: se joga nos picolés de tapioca da marca Fika Frio, facilmente encontrados em Maceió.
A Fika Frio é uma marca simples de picolés, que não tem nada de gourmetizada, mas que faz o melhor picolé de tapioca que já provei.
Ele é macio, doce sem ser exagerado e traz a massa de tapioca com coco no formato do picolé. Parece que você está comendo uma grande tapioca docinha e gelada.
Caso você não seja fã de tapioca, a Fika Frio também tem outros sabores com frutas de lá, como graviola, cajá e castanha de caju. Eu provei o de cajá e é uma delícia!

Lembro uma vez, quando eu era criança, que passou um senhor vendendo picolés da Fika Frio na praia, perto da casa em que eu estava hospedada. Eu e meus primos compramos TODOS os picolés do senhor de uma só vez.
Nos dias seguintes, ele nem ia para a praia, passava primeiro na nossa casa para vender a sua cota do dia de picolé de tapioca.

Mas fique esperto, porque Fika Frio só tem no Nordeste!

Falando em tapioca…

5. Tapioca tradicional

tapioca
Minha micro tapioca de coco

Esqueça aquela massa de tapioca que você compra no mercado para fazer dieta. Aquilo nada tem a ver com a tapioca de verdade, que você come em Maceió e no restante do Nordeste.
Recheio de atum, goiabada, queijo brie, frango com catupiry, ou qualquer uma dessas misturebas aí, esqueça também. Apesar de você encontrar muitas dessas coisas hoje em dia nas tapiocas do Nordeste, a tapioca de verdade, original, é só com coco de verdade, ralado da fruta e não do saquinho. Só isso.

Então vá em qualquer barraquinha de praia que venda tapioca e peça uma com o recheio que você quiser, mas antes, prove a tradicional. Aí você me diz se o que estava comendo até hoje era tapioca.

Dica que vale ouro: Também dá pra trazer a goma de tapioca na mala. O melhor lugar pra comprar é nos arredores do Mercado de Artesanato, que tem massa fresquinha e por um preço ótimo!

6. Caipirinha de seriguela

caipirinha de siriguela
Caipirinha de seriguela

O sol e o calor da praia combinam perfeitamente com uma caipirinha, não é mesmo?
Mas pra que tomar de limão ou de outras frutas que você está acostumado, se você pode tomar a caipirinha com as frutas típicas do Nordeste?
A minha dica é que você peça a sua caipirinha de seriguela, fruta docinha e deliciosa encontrada aos montes por aqui.
É relativamente fácil encontrar caipirinha de seriguela nos bares e restaurantes de Maceió e a fruta é perfeita para tomar o drinque e depois comer o que sobrou. A única coisa difícil é pedir uma só.

Em tempo: as coisas em Maceió tendem a ter mais açúcar do que aqui em SP, portanto é sempre uma boa pedir a sua caipirinha com pouco açúcar. Vai vir adoçada na medida certa.

7. Acarajé da Elísia

acarajé
Acarajé da Elísia

O melhor acarajé de Maceió fica… no shopping?
Sim, isso mesmo!

O acarajé mais gostoso, fresquinho e suculento da cidade é feito pelas mãos da baiana arretada Elísia, que tem uma barraquinha no Maceió Shopping, antigo Iguatemi.

A Elísia é bem conhecida em Maceió e antigamente, ela tinha uma barraca de acarajé no Hiper, um supermercado de lá.
Há uns cinco anos, ela mudou para o estacionamento do shopping e o seu acarajé continua imbatível.
Ela bate a massa de feijão na hora, o vatapá e o caruru são fresquíssimos, vem bastante camarão, e o tempero é delicioso. Não deixe de pedir a pimentinha que ela faz. Porreta, mas boa demais.
Não dá pra passar em Maceió sem provar o acarajé dela.

Se quiser algo mais refinado, o acarajé do Akuaba também não decepciona, apesar de algumas pessoas dizerem que ele já foi melhor.

Mas posso dizer? Eu não sou muito de ir ao shopping nem aqui em SP, mas vale a pena dar um pulo no Maceió Shopping pra provar o delicioso acarajé da Elísia.

8. Passaporte

Sim, passaporte. Este é o nome do sanduíche mais popular de Maceió!

O passaporte é um sanduíche bem popular mesmo, destes que você encontra em qualquer esquina.
Ele é feito com pão seda (um pão típico de lá, macio e adocicado), salsicha, carne moída, frango desfiado, queijo ralado, molho de tomate, milho, ervilha, tomate picado, ketchup, e tudo mais que você conseguir imaginar.
É um sanduíche enorme, que dá facilmente pra dividir em duas pessoas.

É trasheira total, mas é delicioso, daquelas coisas que te satisfazem na volta da balada, pra curar ressaca ou depois de um dia difícil.

Eu arrisco dizer que os melhores passaportes são aqueles vendidos nos lugares mais simples. Se gourmetizar, perdeu a graça.

Eu recomendo o do Elefant’s, que fica no bairro do Pinheiro, pertinho do Farol. Vá lá, peça um com tudo e entenda o porquê esse sanduíche é tão bom!

9. Macaxeira, inhame, batata doce, cuscuz, carne e queijo coalho

inhame
Inhame com tapioca, carne e ovo, na casa da minha tia

Eu sei que já falei desses itens no primeiro tópico, sobre café da manhã.
Mas é que eles são tão bons, tão bons, que merecem um tópico só pra eles.

Apesar de serem mais populares no café da manhã, dá pra comer macaxeira, queijo coalho e afins em qualquer momento do dia (pelo menos é o que eu acho!).

Alguns esclarecimentos: macaxeira é o que chamamos de mandioca, aipim. Amarela, molinha e deliciosa.
O que eles chamam de inhame no Nordeste, nós chamamos de cará por aqui. É aquele grandão, que você corta em rodelas grossas.
Batata doce é batata doce mesmo.
Cuscuz nada tem a ver com o marroquino. Na maioria das vezes, é feito de milho e pode levar coco também. Há também uma versão deliciosa feita de massa puba, que é um subproduto da mandioca.
A carne pode ser a carne seca ou a carne do sol, mas ambas são bem diferentes da que temos por aqui. A de lá é mais gordurosa, menos salgada e tem mais sabor. Carne seca é coisa de paulista. Nordestino come charque.
Queijo coalho também é diferente dos espetinhos de churrasco. O bom mesmo é comer na praia, ou derretido na frigideira no café da manhã…

Convenci vocês?

10. Água de coco geladinha

Maceió - Coco verde - Magali Viajante
Coco geladinho por R$ 1,50, na Levada

Ok, água de coco temos por aqui.
Mas água de coco geladinha por R$ 3 ou no máximo R$ 4, tá difícil, né não?
Na orla, que é um dos pontos mais caros da cidade, é isso que você vai pagar: R$ 4.
Além de ser saudável e gostosa, ainda é baratinha. Precisa de mais motivos para tornar a água de coco a sua bebida oficial em Maceió?

Ah, se você for do tipo aventureiro e que quer conhecer a parte roots da cidade, no bairro da Levada tem vários lugares que vendem o coco fresquinho e gelado por menos de R$2.

11. Cuscuz recheado

cuscuz recheado
Cuscuz recheado da Sandra

Essa foi uma novidade até pra mim! Em anos de Maceió, eu nunca havia provado o cuscuz recheado. Mas provei e adorei!
É assim, você tem o cuscuz tradicional, feito de milho, e pode escolher três ou quatro recheios para colocar dentro dele.
Eu, que como mais que a boca, escolhi quatro recheios: carne de sol,  camarão, queijo coalho e banana. As possibilidades de recheios são variadas, desde camarão até catupiry e calabresa. Eu escolhi os mais tradicionais e fui instruída pelos alagoanos que a banana é imbatível. E além de tudo isso, se você pedir com quatro recheios, ainda vem um ovo frito em cima do seu cuscuz. Isso mesmo, cuscuz à cavalo!

Eu achei a combinação perfeita e fico com água na boca só de pensar no meu cuscuz com carne e banana.
Aparentemente, dá pra provar o cuscuz recheado em vários lugares de Maceió, mas a minha indicação é o Cuscuz da Sandra, na praia de Jatiúca.

Vá com fome, ou divida com alguém, porque o negócio é grande!

12. Cocada das vendedoras da Massagueira

cocada
Cocada das mulheres da Massagueira

Visitar a Massagueira é passeio obrigatório pra quem vai à Maceió (disse isso no vídeo que foi ao ar ontem, vocês assistiram?)
Além da paisagem linda e da comida excelente, a região da Massagueira tem uma coisa muito legal que eu sempre faço questão de ir quando estou em maceió: os drive-thrus de cocada.
É assim, as mulheres da região preparam cocadas em suas casas e vendem na porta ou em pequenas barraquinhas na rua. Só que não tem lugar para parar o carro. Então você encosta ali na frente, abre o vidro, escolhe a sua cocada, paga e de lá já vai simbora.

São diversos sabores de cocada: tem a tradicional, de coco queimado, goiaba, jaca, caju, manga… tem de tudo o que você imaginar.
Além das cocadas, as mulheres também vendem alguns tipos de doces em calda. O de caju é maravilhoso!

A minha cocada preferida é a tradicional, com o coco fresquinho.
Maceió tá muito moderna mesmo, até drive thru de produtos tradicionais tem…

+ Faça uma Costelinha de Porco com o doce de caju que você comprar na Massagueira +

13. Queijo coalho na praia

queijo coalho
O queijo coalho e a cervejinha na praia

Você já deve ter visto: o moço vem andando na praia com uma latinha com brasa e um isopor, e de lá de dentro sai um delicioso queijo coalho que ele faz questão de deixar bem queimadinho nas pontas.

Se você nunca viu, essa é a ultimate comida de praia de Maceió. Não dá pra ir lá e não comer queijo coalho na brasa. É tipo ir ao Rio e não tomar mate.

Pode parecer estranho, mas queijo e praia combinam. E muito!

14. Lagosta

lagosta
Lagosta de Tatuamunha, no Litoral Norte

Alagoas, principalmente no litoral norte, conta com uma grande criação de lagostas de cativeiros.
A produção por lá é tão grande, que rola até Festival da Lagosta em Maragogi, com diversos pratos preparados com a iguaria.
É uma boa chance de provar o fruto do mar fresco, sem estar congelado e sem pagar uma fortuna. É chique, benhê!

15. Mungunzá do Trapiche

mungunzá doce
Mungunzá do Trapiche

Você sabe o que é mungunzá? Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar!
O mungunzá nada mais é do que o que chamamos de canjica aqui em São Paulo.
Uma sobremesa feita com o milho branco e leite de coco, que é muito comum nas festas juninas. A diferença é que no Nordeste se come quente e no ano inteiro.

E se você estiver com vontade de comer mungunzá quando estiver em Maceió, o melhor lugar é em uma barraquinha de rua simplona que fica no bairro do Trapiche, entre o cemitério e o mercado Super Giro.
A barraquinha só funciona à noite e faz o melhor mungunzá que já comi na minha vida!
Você compra por copinho (de plástico mesmo) e custa bem baratinho. É bom que você pode repetir, que não vai pesar no bolso (só na barriga mesmo…).

Além de mungunzá, a barraquinha do Trapiche ainda vende várias coisas de milho, tipo milho cozido, pamonha, bolo de milho. Tudo parece ser bom, mas eu não resisto e fico me acabando no mungunzá mesmo!

E aí? Curtiram a minha lista dos Top 15 de Maceió?
Eu recomendo fortemente que você use essa lista como ponto de partida para o seu roteiro na cidade e faça a sua programação em torno da comida.

Não precisa me agradecer, mas sei que essa lista tá demais e quase te fez lamber a tela do celular, não é mesmo?

*A equipe do Magali Viajante se hospedou à convite do Jatiúca Resort.

Reserve o seu hotel em Maceió por esse link do Booking. Você não paga nada a mais pela reserva e o Magali Viajante ganha uma pequena comissão, o que nos ajuda a continuar trazendo informações de viagens para você!

Gosta do Magali Viajante? Então não esquece de seguir a gente em todas as mídias sociais. Tem conteúdo exclusivo para o Facebook, Instagram,Twitter,YouTube e até Snapchat. Segue lá!

9 comments

Comments are closed.